Partido dos Trabalhadores tirou a corrupção debaixo do tapete, diz Lula

Aos gritos de “Lula guerreiro, do povo brasileiro” e “Facistas, facistas, não passarão”, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou, no início da tarde desta quinta-feira (15), sobre ter sido denunciado pelo Ministério Público Federal no âmbito da operação Lava Jato.

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comenta denúncia do MPF envolvendo seu nome (Foto: Estadão Conteúdo)
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comenta denúncia do MPF envolvendo seu nome (Foto: Estadão Conteúdo)

O petista disse, mais uma vez, que ele e seu partido são alvo de perseguição. “Ninguém respeita mais a lei do que eu neste país”, garantiu.

Aparentando bastante calma, Lula brincou antes de começar a discursar. “Quando a gente é presidente tem alguém até para segurar microfone, agora sou eu mesmo. “Cadê minha água”, perguntou, provocando risos em seus apoiadores, que lotaram um hotel no Centro de São Paulo para ouvi-lo.

Na sequência, o petista disse que não iria fazer um pronunciamento, nem um “show de pirotecnia”, em referência à coletiva do  MPF. “ Não quero me comportar como uma cara perseguido, não quero comportar como se estivesse reivindicando algum favor”, afirmou. “Vim fazer essa declaração, pura e simplesmente de um cidadão indignado, não de um político.”

Lula discorreu sobre sua trajetória política e disse que tinha orgulho de ter criado o PT, “o mais importante partido de esquerda da América Latina”.

O ex-presidente disse que “apostavam no fracasso” de seus dois mandatos à frente da Presidência da República, assim como na gestão de Dilma Rouseff. Por isso, afirmou que os opositores do PT “inventaram uma mentira e tornaram essa mentira verdade aos olhos da opinião pública” para conseguir tirá-la do poder.

“Tiramos da sala o tapete que escondia a corrupção”

“Toda essas denúncias que eu fico vendo, eu tenho a consciência tranquila e mantenho o bom humor. Me conheço, sei de onde vim, para onde vou, quem me ajudou a chegar onde eu cheguei”, disse Lula sobre as acusações de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

“Vivemos um momento no Brasil em que a lógica não é o processo, é a manchete(…) Está acontecendo isso desde 2005. O PT é tido como um partido que tem de ser extirpado da política brasileira”, reclamou Lula.

Depois, o ex-presidente disse que fortaleceu o Ministério Publico Federal e A Polícial Federal, mas que sempre disse aos chefes das instituições para que “ninguém fosse condenado sem julgamento.

“Não é que nós somos mais honestos que ninguém, nós apenas tiramos da sala o tapete que escondia a corrupção. Isso vale para o PT e qualquer partido político. Só tem um jeito da pessoa não ser perseguida pela Justiça, é não ter crime.”

“Eu digo publicamente, ninguém respeita mais a lei que eu nesse país. Eu respeito as instituições, respeito a lei, vou prestar quanto depoimentos forem necessários”, garantiu. “Se tem uma coisa que eles têm que aprender é que não estão habituados a um cidadão que conquistou o direito de andar de cabeça erguida nesse pais“, acrescentou, chorando. “Provem uma corrução minha que eu irei a pé para ser preso, como fazem promessa em Aparecida.” (BAND)

Comentários

comentários