Para ser candidato a prefeito de Campo Grande Ricardo Ayache deixa o PT

O presidente da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul), Ricardo Ayache foi o primeiro ai puxar a fila dos que vão abandonar o PT de olho em 2016. Ele anunciou na manhã desta terça-feira (18) sua desfiliação do Partido dos Trabalhadores.

O presidente da Cassems, Ricardo Ayache anunciou na manhã desta terça-feira a desfiliação do PT Foto Silvio Ferreira
O presidente da Cassems, Ricardo Ayache anunciou na manhã desta terça-feira a desfiliação do PT Foto Silvio Ferreira

“É um momento de decisão muito difícil, mas após um debate muito intenso decidi pela desfiliação. Foram 14 anos de filiação onde fiz muitos amigos, agradeço a todos os militantes principalmente pela votação expressiva na nossa primeira experiência eleitoral, que foi para o senado da república em 2014. Temos que reconhecer os avanços sociais que o PT proporcionou nos últimos anos, mas também é preciso entender e refletir sobre o atual cenário nacional e os princípios e práticas nos últimos anos”., disse.

Sem força dentro do PT, que deve lançar o ex-governador e atual deputado federal Zeca do PT, o presidente da Cassems mudará de partido visando se lançar candidato no pleito de 2016

Em 2014, Ayache conseguiu surpreender na reta final e terminou a disputa em segundo lugar, vencendo o ex-prefeito Alcides Bernal (PP), possível adversário em 2016. Ele obteve uma votação expressiva de 281.022 votos tendo (23.09%) nas urnas.

Segundo Ayache, a ausência de grandes reformas estruturais, a crise econômica, crise política, tudo culminou para essa decisão,.”Minha decisão foi motivada por um desgaste no âmbito nacional, relacionada a crise econômica e política que o PT enfrenta atualmente. Eu tenho minha vida profissional pautada no diálogo aberto e franco com todos. Os rumos que a política tomou nos últimos 8 meses, com a perda de conquistas sociais, perda econômica, perda de capacidade de consumo com a sensação clara e evidente que os bens sociais como saúde e educação, transporte coletivo tiveram perdas nos últimos tempos, foram os fatores motivacionais para a tomada dessa decisão. As medidas que estão sendo tomadas são medidas de fundo estruturante, é como se estivéssemos tapando buracos e as grandes reformas não estão sendo propostas. O partido perdeu a capacidade de dialogar com a população nos últimos anos, não posso continuar em um partido que perdeu essa capacidade”, afirma

Ricardo Ayache não adiantou, mas deve anunciar a filiação ao PTB, por onde deseja disputar a Prefeitura. O presidente estadual do partido, Ivan Louzada, afirmou que está conversando.

Comentários

comentários