Para sair da crise, Mario Cesar defende corte de comissionados e diminuição de secretarias na Prefeitura

O presidente da Câmara Municipal, vereador Mario Cesar usou a Tribuna na sessão ordinária desta quinta-feira (30) para defender o corte de comissionados e a diminuição de secretarias na Prefeitura de Campo Grande como forma de reduzir os gastos com a máquina pública.

Presidente da Câmara de Vereadores, Mário César
Presidente da Câmara de Vereadores, Mário César

De acordo com Mario Cesar, a administração municipal precisa enxugar os gastos para conseguir sair da crise e resolver a atual situação financeira de Campo Grande.

“Atualmente temos duas secretarias, uma de Receita e uma de Finanças, para que uma secretaria que paga e outra que arrecada, podíamos ter uma só secretaria que faça tudo isso, enxugando e reduzindo os gastos”, afirmou Mario Cesar.

Ainda segundo o presidente da Casa de Leis, “houve um aumento de gasto na Seleta, antes era R$ 2 milhões e hoje passamos de R$ 6 milhões. O Tribunal de Contas está fazendo uma análise para ver se já estamos chegando no teto prudencial conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal, não quero fazer discurso de jogar pra platéia. Tem que fazer ajuste e isso foi dito lá atrás, o próprio secretário de finanças disse que se não houver ajuste, não posso falar em reajuste. Temos que controlar nossos gastos”, disse.

Em seu pronunciamento, Mario Cesar ainda convidou de maneira emergencial o prefeito Gilmar Olarte para dar explicações sobre a situação financeira do município, que enfrenta dificuldades no pagamento dos salários dos servidores e na prestação dos serviços públicos básicos.

Comentários

comentários