Para Dagoberto, pedaladas fiscais são argumentos fracos para derrubar Dilma

Durante entrevista ao programa Tribuna Live da Capital FM, o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) afirmou que os membros da Comissão Especial que devem analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) serão homologados nesta segunda-feira. O parlamentar pedestita foi indicado pelo partido para compor a Comissão, mas não acredita que a petista será afastada e ressalta que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha acatou o pedido por vingança.

, Dagoberto diz que se ficar com provado que a presidente cometeu crime votará pelo afastamento Foto Kerolyn Araújo
, Dagoberto diz que se ficar com provado que a presidente cometeu crime votará pelo afastamento Foto Kerolyn Araújo

“Teremos os nomes homologados na segunda-feira, mas acredito que este processo será arquivado. A não ser que exista algo ilícito comprovado contra a presidente, mas pelo que vejo, a atitude foi apenas um ato de vingança do presidente da Câmara”, afirma Dagoberto.

Após a homologação dos membros, a Comissão Especial realiza uma reunião para nomear o presidente e três vice-presidente para desenvolver os trabalhos a frente da Comissão.

“O que ficou decido da Comissão é que na segunda-feira vamos nomear o presidente e os três vice para dar sequencia aos trabalhos, mas acho que dificilmente o pedido será acatado, não temos provas de atos ilícitos”, diz Dagoberto.

Para Dagoberto, Cunha estaria se vingando da presidente, já que anunciou a abertura do impeachment no mesmo dia em que a bancada do PT na Câmara afirmou que votaria pela continuidade do processo de cassação de Cunha no Conselho de Ética.

“Ele ficou bravo e agiu por retaliação com algo que ele mesmo disse que iria arquivar. Tenho certeza absoluta que ele está agindo por vingança e todos enxergam dessa forma”, diz o deputado.

Mesmo contra o impeachment, Dagoberto diz que se “ficar com provado que a presidente desviou, ou usou recursos públicos em benefício próprio, se tiver alguma coisinha grave contra ela, ai sim voto pelo afastamento Por hora o que tem são problemas administrativos fiscais, se for isso voto contar”, finalizou.

Comentários

comentários