Para Bernal, grande parte dos focos do Aedes ocorre por desleixo da população

Pelo menos 86% dos focos da dengue na Capital são domiciliares. Isto é, produzidos em quintais e outros pontos de residências habitadas.

Bernal: "A população tem de fazer a sua parte" (Foto: Divulgação)
Bernal: “A população tem de fazer a sua parte” (Foto: Divulgação)

A informação foi dada neste sábado (30) pelo prefeito Alcides Bernal (PP), que também culpou parte da população pela epidemia da doença registrada na cidade – na última semana o governo do estado decretou estado de emergência para o contágio do Aedes aegypti em MS.

O prefeito convocou a população a “fazer a parte dela” no mutirão contra o Aedes aegypti, deflagrado pelas autoridades de saúde da Capital. “Calculamos que 86% dos focos são domiciliares. Portanto, não adianta apenas a prefeitura intensificar as ações, se não há colaboração dos moradores”, disse o prefeito.

Neste sábado, Bernal acompanhou um grande mutirão contra o mosquito no bairro Nova Lima, região norte da Capital.

No local, o prefeito acompanhou a divulgação dos números da dengue, zica vírus e febre chikungunya no município. Segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), 2,5 mil casos da dengue foram notificados entre 1º de janeiro até a última sexta-feira (29) no município.

No balanço da Sesau, por dia, na cidade, uma média de 9,48 pessoas são picadas pelo Aedes aegypti.

De acordo com a pasta, em 29 dias de 2016 foram 275 casos confirmados de dengue.

Também foram notificados 458 casos de zika vírus e dois casos suspeitos, mas ainda sem oficialização. A Sesau também informou que, no caso da chikungunya, são 62 casos notificados, mas até agora, também, sem nenhuma confirmação.

Na região do Nova Lima, neste sábado,150 agentes trabalharam no mutirão contra o Aedes aegipty. Cada um visitou uma média de 50 casas, já incluído o “arrastão” feito nos bairros Vida Nova, Jardim Anache, Tarsila do Amaral e Colúmbia.

Segundo a Sesau, no Nova Lima houve a redução de 60% no número de notificações da dengue, em especial, depois dos trabalhos de prevenção que começaram a ser feitos na região pela pasta.

Comentários

comentários