Papa defende que mulher paraguaia receba Nobel por atuação na guerra

Desde que chegou ao Paraguai, última parada de sua visita à América Latina, o papa Francisco tem aproveitado para exaltar o papel das mulheres do país na Guerra do Paraguai, no século 19. Francisco chegou a Assunção na sexta-feira (10), onde tem eventos públicos e privados. No primeiro discurso no país, realizado no palácio presidencial perante o chefe de Estado, Horacio Cartes, e outras autoridades, ele afirmou que a mulher paraguaia é “a mais gloriosa da América”.

Papa Francisco assiste apresentação durante missa em Caacupé (Foto: Reuters/Andres Stapff)
Papa Francisco assiste apresentação durante missa em Caacupé (Foto: Reuters/Andres Stapff)

“Eu desejaria que algum dia o Comitê do Prêmio Nobel outorgasse um Prêmio à mulher paraguaia por ter salvado a cultura, a pátria”, afirmou Francisco durante uma reunião, segundo a “Rádio Vaticano”.

Neste sábado (11), o pontífice voltou a lembrar das mulheres do Paraguai por terem reconstruído a nação a partir dos destroços da guerra, em missa realizada em Caacupé, o lugar mais religiosamente sagrado do país.

“Eu gostaria especialmente de mencionar vocês, as mulheres, esposas e mães do Paraguai, que a um grande custo e sacrifício foram capazes de levantar um país derrotado e devastado pela guerra”, disse. “Deus abençoe as mulheres do Paraguai, as mulheres mais gloriosas da América.”

Mulheres e a guerra

A Guerra do Paraguai aconteceu entre 1864 e 1870, e Francisco também não esqueceu “dos milhares de paraguaios simples, cujos nomes não aparecerão escritos nos livros de história, mas que foram e seguirão sendo verdadeiros protagonistas da vida de seu povo”.

O papa reconheceu, “com emoção e admiração”, o papel desempenhado pela mulher paraguaia “nesses momentos dramáticos da história”.

“Sobre seus ombros de mães, esposas e viúvas, levaram o peso maior, souberam levar adiante suas famílias e seu país, infundindo nas novas gerações a esperança em um amanhã melhor”, acrescentou Francisco.

O papa já havia elogiado em outra ocasião a coragem das mulheres deste país após a guerra travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliança, composta por Brasil, Argentina e Uruguai.

“Abençoo a mulher paraguaia, a mais gloriosa da América”, expressou então o pontífice.

Além de considerá-las “heroicas”, o papa lembrou como “depois da guerra ficavam oito mulheres por cada homem e elas tomaram a decisão de ter filhos para salvar a pátria, a língua, a cultura e a fé”.

Santuário

Caacupé é famosa por seu santuário que abriga uma estátua da Virgem Maria que, acredita-se, foi esculpida por um índio guarani convertido para o cristianismo no século 16, quando missionários se instalaram na região.

A missa deste sábado, com centenas de milhares de adoradores, contou com um breve atraso pois o papa ficou “dominado pela emoção”, de acordo com um bispo.

Papa Francisco percorre caminho entre fiéis no papamóvel neste sábado (11) no Paraguai (Foto: Reuters/Andres Stapff)
Papa Francisco percorre caminho entre fiéis no papamóvel neste sábado (11) no Paraguai
(Foto: Reuters/Andres Stapff)

Susto

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, garantiu que o papa “está bem” depois que se ausentou durante alguns minutos antes da missa que celebrou no santuário de Caacupé, no Paraguai, detendo a procissão inicial da eucaristia.

Devido à ausência justo quando começava a procissão, o bispo de Caacupé, Claudio Giménez, explicou que o papa havia se ausentado um momento por estar “emocionado” e pediu a retomada da canção inicial da missa.

Poucos minutos depois, Francisco apareceu tranquilo com os paramentos litúrgicos e continuou a procissão. Perante as perguntas dos jornalistas sobre o atraso do papa, Lombardi disse: “Está bem, como vocês viram”.

Argentinos

Milhares de argentinos atravessaram a fronteira para assistirem a seu compatriota, que está encerrando uma passagem “de volta para casa” pela América do Sul na qual ele pediu aos oprimidos que mudassem a ordem econômica mundial, alertou sobre os danos irreversíveis ao planeta e andou entre prisioneiros.

G1

Comentários

comentários