Palmeirenses valorizam reação e veem disputa aberta contra Cruzeiro

Gazeta Esportiva/JN

Dominado, o Palmeiras sofreu três gols do Cruzeiro no primeiro tempo do jogo disputado nesta quarta-feira. Após o empate por 3 a 3 no Palestra Itália, os jogadores do time da casa valorizaram a reação e reiteraram que a briga por uma vaga na semifinal da Copa do Brasil segue em curso.

William marcou o terceiro gol do Palmeiras Foto Fernando Dantas Gazeta Press

“No segundo tempo, o time teve postura, determinação, empenho e garra para buscar o empate. Infelizmente, não conseguimos essa intensidade no primeiro tempo. Mas corremos atrás no segundo e conseguimos um empate que deixa tudo em aberto”, declarou Zé Roberto.

O jogo de volta pelas quartas de final da Copa do Brasil está marcado para às 21h45 (de Brasília) de 26 de julho, no Mineirão. O time mineiro avança com empates por 0 x 0, 1 x 1 e 2 x 2, vantagem que não é suficiente para desanimar o experiente zagueiro Edu Dracena.

“É uma partida de 180 minutos. Tomara que em Belo Horizonte a gente possa jogar como jogou no segundo tempo. Foram três bobeiras nossas e sofremos três gols na primeira etapa. Valeu a entrega, a dedicação. Em nenhum momento desistimos e está tudo aberto”, declarou.

Recuperado de lesão, o volante Thiago Santos foi escalado como titular pelo técnico Cuca. Com jogos eliminatórios pela Copa do Brasil e pela Copa Libertadores, o meio-campista espera que o primeiro tempo do confronto com o Cruzeiro sirva como lição para o Palmeiras.

“O Cruzeiro é um bom time e também teve méritos, mas não pode acontecer o que aconteceu no primeiro tempo. Tomamos três gols e ainda conseguimos buscar, mas, mais adiante, pode ser que não consigamos. Temos que entrar ligados em todos os jogos”, declarou o volante.

Após a primeira partida pelas quartas de final da Copa do Brasil, o Palmeiras volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Às 16 horas (de Brasília) deste sábado, pela 11ª rodada do torneio por pontos corridos, o time alviverde pega o Grêmio, no Estádio do Pacaembu.

Comentários

comentários