Palmeiras quebra tabu, vence Santos em casa e abre vantagem na final

Leandro Pereira marcou o gol da vitória alviverde ainda no primeiro tempo, mas Dudu perdeu pênalti na etapa final. Santistas saíram satisfeitos com placar magro

Poderia ter sido melhor. Foi com essa sensação que o Palmeiras terminou o jogo deste domingo, no Allianz Parque. O time se impôs e abriu vantagem na decisão do Campeonato Paulista diante de um Santos retraído como nunca, mas o resultado foi magro: 1 a 0, gol de Leandro Pereira. Poderia ter sido pior. Foi essa a sensação do Peixe, que jogou boa parte do segundo tempo com um a menos e jogará na Vila no domingo que vem.

Será a vez do Santos aproveitar-se do apoio da torcida, algo que o Verdão sabe fazer muito bem no Allianz Parque – já são oito vitórias seguidas no local. É verdade que o placar deste domingo poderia ter sido mais elástico, sobretudo porque Dudu desperdiçou um pênalti aos 15 minutos do segundo tempo, logo após a expulsão do zagueiro Paulo Ricardo, mas ele serviu para quebrar um tabu de oito jogos sem bater o Santos: desde fevereiro de 2012, o Alvinegro acumulava seis triunfos e dois empates.

Foi um legítimo Clássico da Saudade para os santistas. Saudade de Robinho, vetado por lesão, e que poderia fazer a criatividade de Lucas Lima ser mais útil. Auxiliado por Chiquinho e Geuvânio, o meia não conseguiu fazer do Peixe o time ofensivo de todo o ano. Muito nervoso, Ricardo Oliveira teve só uma boa chance, aos 20 do segundo tempo, mas foi travado pelo preciso Vitor Hugo.

Já o palmeirense não sentiu tanta saudade de Valdivia, também machucado. Ainda mais porque Cleiton Xavier foi a campo antes do previsto, substituindo o lesionado Arouca aos 17 minutos da etapa inicial. O santista mais rancoroso certamente festejou a contusão do camisa 5, mas o contratempo acabou ajudando o Verdão a abrir a contagem.

Foi Cleiton Xavier quem descobriu a avenida inexplorada que havia nas costas de Victor Ferraz. E foi por ali, acionando Lucas – com participação inteligentíssima de Robinho, que estava em posição de impedimento, mas abriu as pernas – que o camisa 8 iniciou a jogada do gol. O lateral cruzou e Leandro Pereira fez.

O Palmeiras cresceu, asfixiou o Santos e acumulou chances com a já conhecida boa movimentação de seus homens de frente. Em uma delas, Rafael Marques demorou para chutar, recebeu um tranco de Geuvânio e desabou. Os palmeirenses queriam pênalti e reclamaram com o árbitro Vinicius Furlan no intervalo. Os santistas se envolveram na discussão e os dois técnicos foram expulsos.

Com Oswaldo no meio da galera e Elano auxiliando Serginho Chulapa no banco do Peixe, o Palmeiras viu o jogo se escancarar e não aproveitou. A falta de Paulo Ricardo sobre Leandro Pereira começou fora da área, mas acabou dentro. Pênalti que demorou a ser cobrado, já que o árbitro se confundiu e apresentou cartão vermelho primeiro a David Braz, que nem estava no lance. Desfeito o erro, Dudu cobrou no travessão. O Santos recuou e cozinhou o jogo como pôde. A pressão verde não foi como poderia. E o Paulistão 2015 será decidido na semana que vem.

FICHA TÉCNICA PALMEIRAS 1 X 0 SANTOS

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 26 de abril de 2015, ás 16h (de Brasília)
Juiz: Vinicius Furlan (SP)
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e Anderson José de Moraes Coelho (SP)
Público/Renda: 39.479 pagantes / R$ 4.181.281,25
Cartões amarelos: Cleiton Xavier, Vitor Hugo, Gabriel e Victor Ramos (PAL); Lucas Lima (SAN)
Cartão vermelho: Paulo Ricardo, aos 11’/2ºT (SAN)
GOL: Leandro Pereira, aos 29’/1ºT (1-0);

PALMEIRAS: Fernando Prass, Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Arouca (Cleiton Xavier, 17’/2ºT), Robinho (Kelvin 35’/2ºT), Dudu e Rafael Marques; Leandro Pereira (Gabriel Jesus, 22’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

SANTOS: Vladimir; Cicinho, Paulo Ricardo, David Braz e Victor Ferraz (Jubal, 13’/2ºT); Lucas Otávio, Renato, Chiquinho e Lucas Lima; Geuvânio (Gabriel, 34’/2ºT) e Ricardo Oliveira (Leandrinho, 42’/2ºT). Técnico: Marcelo Fernandes.

LANCEPRESS!

 

Comentários

comentários