Paciente com suspeita de Guillain-Barré é transferida para Capital

A paciente Janecler Nunes da Silva, de 33 anos, com suspeita de Síndrome de Guillain-Barré, doença provocada pela evolução do zika vírus, transmitida pelo Aedes aegypti, foi transferida para o Hospital Universitário (HU) em Campo Grande. A mulher estava internada na Santa Casa de Paranaíba, distante 407 quilômetros dda Capital.

4hu

Segundo o cunhado Renato Mendes, de 39 anos, a família ainda aguarda o resultado de exames, diante do desconhecimento científico em relação ao Zika vírus e suas consequências. A vítima respira por aparelhos e também perdeu a fala.

De acordo com o Tribuna Livre, Janecler começou a ser acompanhada desde o dia 28 de janeiro, quando passou a apresentar sintomas da dengue, como febre, dores nas juntas e mal estar. Com dormência nas mãos, procurou a Santa Casa, foi medicada e liberada.

Na sexta-feira (29), o quadro se agravou e não conseguiu trabalhar. No sábado de manhã, precisou retornar ao hospital, quando recebeu uma injeção, tomou soro e novamente foi liberada. No dia, Janecler não aguentava permanecer em pé e saiu de cadeira de rodas.

No domingo (31), passou mal, não sentia mais as pernas e no final da tarde durante o banho, não aguentou permanecer em pé devido a sensação de fraqueza.

Já na segunda-feira (1º), a mulher não conseguia sentir mãos e pés e foi levada a Santa Casa pelo Corpo de Bombeiros, onde ficou em observação, mas não foi internada.

Segundo o cunhado, Janecler passou a ter sintomas de dengue hemorrágica e às 20 horas foi levada para a UTI, onde permaneceu até ser transferida para Campo Grande, para atendimento com um neurologista.

De acordo com os exames realizados, os médicos de Paranaíba suspeitam da Síndrome de Guillain-Barré, doença adquirida depois de ser contaminado pelo vírus Zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

Comentários

comentários