Operação Coffee Break do Gaeco leva vereadores para depoimento

Batizada de Coffee Break, uma operação do Grupo de Atuação e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) foi deflagada no início da manhã desta terça-feira (25).

25gaeco

Alvos da operação seriam vereadores e empresários de Campo Grande. Alguns deles, inclusive, chegaram a ser levados para o prédio do Gaeco da Capital.

A motivação da investigação e quantidade de pessoas levadas para prestar depoimentos ainda não foram divulgados pela assessoria de imprensa do Ministério Público Estadual (MPE).

Não foi divulgado o número de mandados, mas as pessoas foram detidas.

A operação é um desdobramento Lama Asfáltica, realizada pela PF (Polícia Federal) em 9 de julho, em que foi investigado um esquema de fraudes com empreiteiras, servidores e parte da cúpula ex-gestão estadual.

Gravações sinalizam a interferência do empresário João Amorim, dono da Proteco Construções Ltda e apontado como líder do esquema, na votação em que os vereadores cassaram o então prefeito Alcides Bernal (PP). A senha para pagamento de propina pelo grupo era tomar um café.

Comentários

comentários