‘Operação Caduceu’ do Gaeco mira contadores que emitiam notas frias para a Proteco

Divulgação - Gaeco
Divulgação – Gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpre cinco mandados de busca e apreensão pela Lama Asfáltica, nesta segunda-feira (14). O MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), autorizou o início destas buscas. A operação foi batizada de Caduceu.

Caduceu, nome da operação, é um símbolo astrológico e que representa lucro, vendas e comércio. Por este motivo, a figura simboliza a contabilidade, daí o nome da nova fase, segundo o Grupo de Atuação.

As ordens de operação são todas cumpridas no Estado. O objetivo da Operação Caduceu é desmontar um esquema de emissão de notas frias, em que os envolvidos praticavam crimes de corrupção, sonegação e lavagem de dinheiro.

De acordo com a investigação, esta situação envolveria o contador e as empresas envolvidas na Operação Lama Asfáltica. O MPE ainda não divulgou quem são os alvos da operação deflagrada nesta segunda. Mas que teriam emitido notas frias para a Proteco Construções, empresa investigada na Operação.

LAMA ASFÁLTICA

O trabalho da força-tarefa é investigar e apurar o esquema de desvio de milhões de reais em obras de Mato Grosso do Sul. As investigações também conseguiram identificar a existência de organização criminosa para se apropriar dos recursos públicos.

De início, em julho de 2015, integrantes da força-tarefa divulgaram que investigaram contratos que somavam R$ 45 milhões e identificaram R$ 11 milhões em prejuízos aos cofres públicos. Mas, a operação teve várias fases.

Comentários

comentários