Obra do Aquário do Pantanal está totalmente paralisada

A obra milionária do Aquário do Pantanal, que já custou R$ 234 milhões aos cofres públicos, foi totalmente parada a partir desta segunda-feira (16), conforme havia anunciado o Governo do Estado. A Egelte, empresa contratada para tocar o projeto, conseguiu liminar na Justiça desobrigando-a retomar o empreendimento, já que no decorrer da construção foi substituída pela Proteco, investigada durante a operação Lama Asfáltica por envolvimento em desvio de verbas e fraude em licitações.

Custo da obra já ultrapassou R$ 300 milhões  Foto Marcio Nory
Custo da obra já ultrapassou R$ 300 milhões Foto Marcio Nory

A obra de construção do Aquário foi oficialmente parada no dia 24 de julho, depois que o governo acatou recomendação do Ministério Público Federal (MPF) e suspendeu pagamentos à Proteco Construções, empresa sublocada pela Egelte, que se recusou a retomar as obras depois do afastamento da Proteco.

Como o trabalhos das outras cinco empresas contratadas para prestação de serviços no Aquário dependiam do trabalho da Egelte, os contratos foram paralisados por tempo indeterminado, até nova decisão da Justiça.

A obra emblemática da gestão de André Puccinelli (PMDB) deveria ter sido inaugurada em novembro do ano passado e agora não há prazo para conclusão. O custa da obra, estima-se, passa dos R$ 300 milhões. Inicialmente, o Governo pretendia gastar R$ 87 milhões na obra.

AUDITORIA

Os engenheiros da Agesul já fizeram a medição da obra e constataram que o recurso disponível de pouco mais de R$ 1 milhão seriam suficientes para terminar a obra e constataram que o recurso disponível, de pouco mais de R$ 1 milhão, seriam suficientes para terminar a conclusão física do Aquário do Pantanal, que seria de responsabilidade da Egelte. A empreiteira, porém, se recusa a retomar a obra.

Comentários

comentários