Obra bilionária de estádio seria presente de Odebrecht à Lula

Arena do Corinthians custou bilhões e está envolvida na Lava Jato (Foto: Divulgação/Terra)
Itaquerão custou bilhões e vira peça de quebra-cabeça na Lava Jato (Foto: Divulgação/Terra)

O envolvimento do estádio do Corinthians com a construtora Odebrecht, responsável pela obra, acaba de ganhar novo capítulo polêmico neste domingo (23). A empresa, alvo da Operação Lava Jato da Polícia Federal devido a esquemas de corrupção, teria construído a arena em Itaquera para presentear Lula, ex-presidente da república, em espécie de agradecimento ao apoio dado pelo governante para a empreiteira durante seus mandatos.

Conforme o site Terra, a denúncia publicada na Folha de S.Paulo deste domingo, parte justamente de um representante da empresa: Emílio Odebrecht, patriarca e presidente do conselho de administração do grupo, que revelou a informação devido a delação premiada feita pela empresa com as autoridades.

A partir de 2003, ano em que Lula iniciou seu primeiro mandato presidencial, a Odebrecht viu seu faturamento aumentar de maneira considerável: do período, até 2015, o crescimento da receita do grupo foi de R$ 17,3 bilhões para R$ 132 bilhões.

A obra do estádio corintiano, que foi realizada entre 2011 e 2014, foi conduzida por Emílio, Lula e o presidente alvinegro à época do início da construção, Andrés Sanchez. O custo total para colocar a arena de pé chegou a R$ 1,2 bilhão. O BNDES e títulos da Prefeitura de São Paulo ajudaram a financiar o projeto.

Marcelo Odebrecht, filho de Emílio e herdeiro da empreiteira, acabou preso em decorrência da Operação Lava Jato, em março deste ano. Foi condenado a 19 anos e 4 meses de prisão, por corrupção, lavagem de dinheiro e fazer parte de organização criminosa.

Desde então, a empresa resolveu fazer um acordo com o Ministério Público e assinar a delação premiada para colaborar com o trabalho das autoridades, com Emílio sendo um dos principais delatores para a Justiça, devido a relação próxima com o Governo Federal nos anos de amplo crescimento do grupo.

Comentários

comentários