Na 1ª sessão do ano, Bernal e vereadores trocam promessas de harmonia

Em resposta às críticas nos discursos dos vereadores na primeira sessão legislativa da Câmara de Campo Grande, o prefeito Alcídes Bernal (PP), voltou a apresentar um balanço da situação da prefeitura encontrada após sua recondução ao cargo pela Justiça: déficit no orçamento, crise na infraestrutura urbana, em particular nas vias públicas; a proliferação de epidemias de dengue, chikungunya e zika vírus, falta de caixa para pagamentos de direitos como 13º e que este cenário já vem sendo revertido em apenas cinco meses.”

Foto Silvio ferreira
Foto Silvio ferreira

Bernal afirmou que “neste ano, Campo Grande dará um exemplo de recuperação para o país”. O prefeito disse ainda que não veio buscar “alianças ou parcerias, mas estender à mão aos vereadores e aceitar o apoio e os pronunciamentos propositivos feitos na Casa.”

O chefe do Executivo municipal agradeceu “a parceria do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no combate ao Aedes Aegypti” e afirmou que “o governo federal reconhece a gravidade do problema na Capital, mas também os esforços para combater o mosquito vetor da dengue, chikungunya e zika vírus.”

Bernal anunciou ainda que “todas as ruas de Campo Grande” e “estradas vicinais receberão revestimento primário, sem a participação de empresas envolvidas em escândalos”, referindo-se veladamente às empresas investigadas pela Operação Lama Asfáltica, do Ministério Público Estadual (MPE).

Ao final da cerimônia, o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB) afirmou que “a Casa tem demonstrado disposição em ajudar ao prefeito a fazer uma boa gestão e estabelecer uma relação de harmonia com o Executivo. E que espera que” o prefeito corresponda à postura do Legislativo.”

Ao deixar o prédio da Câmara, Bernal preferiu falar dos esforços da prefeitura no combate ao Aedes Aegypti e do convite feito aos vereadores para que participem da inauguração no dia 11 de fevereiro, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) das Moreninhas.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários