Músico Naná Vasconcelos morre aos 71 anos vítima de câncer

O percussionista Naná Vasconcelos, de 71 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (9), no Recife.  Ele estava com câncer de pulmão.

Percussionista teve parada respiratória e faleceu na manhã desta quarta - Foto: Divulgação
Percussionista teve parada respiratória e faleceu na manhã desta quarta – Foto: Divulgação

De acordo com o Hospital Unimed III, onde estava internado, por volta das 7h, o músico teve uma parada respiratória e passou por um procedimento, mas não resistiu. Ele estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por complicações da doença.

Naná deu entrada na unidade médica desde a segunda-feira (29). No ano passado, o artista passou mais de 20 dias no mesmo hospital, após descobrir o câncer. Segundo Patrícia Vasconcelos, esposa e produtora do músico, Naná passou mal após um show realizado em Salvador, na Bahia, no dia 28 de março, com o violoncelista Lui Coimbra. Ao retornar ao Recife, foi internado.

Em 2015, Naná também passou mal antes de um show, mas achou que não era nada demais e seguiu com a agenda. No Recife, após uma bateria de exames, foi constatado o câncer. “Pegou todos de surpresa porque ele havia feito um raio-x do pulmão no ano passado (2014) e uma revisão geral há dois meses e nada foi encontrado. Foi tudo muito rápido, um susto”, declarou a esposa à época.

Ao ser liberado, pouco mais de 20 dias depois, o músico falou sobre o desafio de enfrentar a doença. “Eu tenho essa situação, e tenho que enfrentar com força, pensamento positivo. E vou enfrentar com o pensamento de que eu vou chegar lá”, disse no ano passado. Naná prosseguiu, então, com o tratamento, que incluiu sessões de quimioterapia e de radioterapia, por 40 dias.

Apesar da doença, Naná participou da abertura do Carnaval do Recife no Marco Zero neste ano na companhia de 400 batuqueiros. E seu último carnaval, o percussionista dividiu o palco com o Clube Carnavalesco Misto Pão Duro, grupo centenário homenageado no carnaval do Recife, com o Maracatu Nação Porto Rico, também celebrado, e com os cantores Lenine e Sara Tavares, de Cabo Verde.

O percussionista Naná Vasconcelos, de 71 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (9), noRecife.  Ele estava com câncer de pulmão.

De acordo com o Hospital Unimed III, onde estava internado, por volta das 7h, o músico teve uma parada respiratória e passou por um procedimento, mas não resistiu. Ele estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por complicações da doença.

Naná deu entrada na unidade médica desde a segunda-feira (29). No ano passado, o artista passou mais de 20 dias no mesmo hospital, após descobrir o câncer. Segundo Patrícia Vasconcelos, esposa e produtora do músico, Naná passou mal após um show realizado em Salvador, na Bahia, no dia 28 de março, com o violoncelista Lui Coimbra. Ao retornar ao Recife, foi internado.

Em 2015, Naná também passou mal antes de um show, mas achou que não era nada demais e seguiu com a agenda. No Recife, após uma bateria de exames, foi constatado o câncer. “Pegou todos de surpresa porque ele havia feito um raio-x do pulmão no ano passado (2014) e uma revisão geral há dois meses e nada foi encontrado. Foi tudo muito rápido, um susto”, declarou a esposa à época.

Ao ser liberado, pouco mais de 20 dias depois, o músico falou sobre o desafio de enfrentar a doença. “Eu tenho essa situação, e tenho que enfrentar com força, pensamento positivo. E vou enfrentar com o pensamento de que eu vou chegar lá”, disse no ano passado. Naná prosseguiu, então, com o tratamento, que incluiu sessões de quimioterapia e de radioterapia, por 40 dias.

Apesar da doença, Naná participou da abertura do Carnaval do Recife no Marco Zero neste ano na companhia de 400 batuqueiros. E seu último carnaval, o percussionista dividiu o palco com o Clube Carnavalesco Misto Pão Duro, grupo centenário homenageado no carnaval do Recife, com o Maracatu Nação Porto Rico, também celebrado, e com os cantores Lenine e Sara Tavares, de Cabo Verde.(G1)

Comentários

comentários