Mulher encontrada morta na Bolívia é mesmo uma brasileira

A Polícia Nacional da Bolívia buscou ajuda das autoridades policiais de Corumbá para identificar o corpo de uma mulher encontrada morta em um matagal na sexta-feira (08), em Puerto Quijarro, distante cerca de quatro quilômetros de Corumbá. Várias fotos da mulher circularam nas redes sociais em busca da identificação, o que occorreu no final da tarde de domingp (10).

riscila tinha ido à Bolivia comprar roupas para revender em SP. (Foto: Reprodução/Facebook)
riscila tinha ido à Bolivia comprar roupas para revender em SP. (Foto: Reprodução/Facebook)

Ela foi identificada como Priscila Franco Silva, 26 anos. Ela era natural de Campinas (SP), tinha dois filhos e estava grávida de sete meses

Segundo o site MS Diário, a identificação foi possível porque seu companheiro, Thiago Ferreira começou uma série de buscas na internet para tentar achar notícias da sua mulher e encontrou matérias que falava do desaparecimento de uma mulher na fronteira boliviana. Então uma amiga do casal entrou em contato com a Redação do MS Diário, que confirmou

“Quando eu vi foto da tatuagem dela com o meu nome, o chão desapareceu dos meus pés. Ela estava grávida de 7 meses e meio. Nós temos dois filhos, seria nosso terceiro. Tá muito errado isso. Machucaram muito ela, não consigo acreditar”, disse ele em entrevista ao MS Diário.

Ele também falou que Priscila estava na Bolívia para fazer compras de roupas para revender no Estado de São Paulo. “Uma vez ela foi lá na Bolívia e comprou, mas não achou que compensava muito. Dessa vez ela ia para São Paulo novamente, mas uma amiga disse que estava compensando comprar na Bolívia, porque a maioria dessas roupas que ela comprava em São Paulo, vinham de lá. Então ela resolveu ir para a Bolívia. Quando eu soube, ela já estava lá”, destacou.

Priscila pode ter sido estuprada porque seu corpo possuía diversos sinais de violência física, e também pode ter sido morta por asfixia. Primeiramente o corpo foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) de Corumbá, pois não havia câmara fria na Bolívia, mas depois foi trasladado para Santa Cruz de La Sierra, onde pode ser enterrado como indigente.

Por isso o marido e os familiares estão desesperados. Thiago e mais parentes de Priscila embarcam nesta segunda-feira (11) para Corumbá, para dar início a repatriação do corpo. Quem puder ajudar a minimizar o tempo para que isso seja feito pode entrar em contato com a família pelos telefones (19) 32260173 e (19) 994237319.

Comentários

comentários