Mulher é retirada com vida dos escombros cinco dias após terremoto no Nepal

Equipes de resgate buscam sobreviventes sob escombros em Katmandu. Divulgação:Agência Lusa
Equipes de resgate buscam sobreviventes sob escombros em Katmandu. Divulgação: Agência Lusa

Equipes de resgate retiraram ontem (30) o segundo sobrevivente dos escombros de um prédio na capital do Nepal, Katmandu, cinco dias após um forte terremoto que causou 5,8 mil mortes. Uma mulher foi retirada dos escombros por uma equipe de socorro francesa, depois de dez horas de trabalho.

Algumas horas antes, um adolescente de 15 anos foi encontrado vivo sob as ruínas da pensão onde trabalhava, com algumas contusões. O balanço do terremoto de sábado (25) foi atualizado para 5.844 mortos, segundo um comunicado da unidade de gestão de catástrofes do Ministério do Interior.

Mais de 11 mil pessoas ficaram feridas devido ao abalo sismico de 7,8 graus na escala Richter, informou o ministério em sua conta na rede social Twitter. Uma centena de outras pessoas morreram na Índia e na China. O governo do Nepal pediu, entretanto, aos países do Golfo Pérsico e da Malásia, onde se encontram muitos emigrantes nepaleses, que facilitem o seu regresso ao país para que possam estar com as suas famílias, informou hoje o diário nepalês Ekantipur.

Foram contactados os governos da Malásia, Arábia Saudita, do Qatar, dos Emirados Árabes Unidos, do Kuwait, de Omã e do Bahrein, países onde trabalham cerca de 3 milhões de nepaleses. Os países do Golfo Pérsico têm uma legislação controversa, um sistema de patrocínio, que permite aos empregadores confiscarem os passaportes dos seus trabalhadores, impedindo que os imigrantes mudem de emprego ou saiam do país sem a sua autorização.

Agência Lusa

Comentários

comentários