Mulher de 59 anos é a 7ª moradora de Campo Grande a morrer de gripe A

Marlene Hashimoto, 59 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (25), na Santa Casa de Campo Grande, por conta de gripe causada pelo vírus H1N1. Ela estava sendo tratada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), assim como outros três pacientes que estão em isolamento no hospital. É a sétima morte registrada por H1N1 na capital.

Marlene estava na UTI da Santa Casa e não resistiu (Foto: Facebook)
Marlene estava na UTI da Santa Casa e não resistiu (Foto: Facebook)

Campo Grande tem 158 casos suspeitos de gripe A e 34 confirmados, sendo 29 casos do vírus H1N1, um caso do vírus H3N2 e outros 4 casos do vírus Influenza B, que levou um adolescente de 14 anos a óbito, segundo a Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau).

Até ontem eram 22 mortes confirmadas, além dois óbitos de pacientes com suspeita da gripe ainda em investigação, um deles em Caarapó e outro de um paciente de Ivinhema, que foi internado em Dourados.

Mato Grosso do Sul contabiliza 106 casos de gripe A em 23 municípios, sendo 101 de H1N1, 1 de H3N2 e 4 de Influenza B, segundo último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) no dia 17 de maio. As cidades com maior quantidade de confirmações são Campo Grande (29), Naviraí (13) e Dourados (10).

A Secretaria de Saúde investiga outras 373 suspeitas de H1N1. A SES monitora isolamento de 271 pessoas com suspeita de H1N1, 8 por H3N2 e 10 por influenza B.

Comentários

comentários