MS terá 44 obras retomadas em plano do governo federal lançado ontem

Caso do Ceinf da Vila Nasser (Foto: Marcelo Victor)
Caso do Ceinf da Vila Nasser (Foto: Marcelo Victor)

O atual governo federal, apesar da dita crise econômica, tendo que adotar medidas de cortes, lançou ou relançou nesta segunda-feira (7) a retomada de obras paradas por todo o Brasil, incluindo Mato Grosso do Sul, atingindo 1.110 projetos parados pelo país, que serão alvo nesta ação anunciada. O Estado, dentre este total, tem listado 44 obras em 25 municípios, a serem retomadas, em custo total de R$ 101,1 milhões. O anuncio foi feito ontem, mas a retomada especificada, ocorrerão nos próximos quatro meses, conforme discursou o presidente Michel Temer (PMDB). A ação servirá de uma segunda etapa do plano do governo, para mexer com a economia, visando induzir uma retomada do crescimento, após a aplicação das medidas extremas pela PEC 241, que vem sendo criticadas, pois congela o aumento do Orçamento e recursos do País, pelos próximos 20 anos.

Em MS, a maior parte da lista de obras está em Campo Grande, com 16 obras a serem retomadas, sendo 14 creches, que somam um custo previsto de R$ 25,9 milhões. A quantia e todos os dados dos empreendimentos estão em listagem (veja abaixo) divulgada pelo Ministério do Planejamento, contendo valores e outros municípios contemplados, do Estado e da Federação. As obras são na maior parte da área da Saúde e creches, que foram idealizadas pelo governo da então presidente Dilma Rousseff e estavam em andamento, mas foram sendo paralisadas com média de 50% do total do projeto. Também constam na lista praças, quadras esportivas, obras de saneamento básico ou abastecimento de água.

A demais cidade do Estado, terão poucas obras a serem retomadas, mas que abrange cerca de 28% do MS. A segunda cidade sul-mato-grossense com retomada de três obras é Dourados, a 233 km da Capital. Constam na relação duas creches, além da segunda etapa do projeto de urbanização da região do Córrego Água Boa, este com custo estimado de R$ 7,9 milhões. Na sequência vem Ponta Porã e Juti com duas cada. O nosso terceiro maior município, Três Lagoas, 338 km distante da Capital, terá só uma, que a retomada da construção de posto de saúde, pois a conclusão é mais rápida, estando acima de 50% da obras e restam aplicar R$ 500 mil.

ceinfsO maior custo unitário de uma obra a ser retomada em MS, está em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, a 320 km da Capital. Lá, conforme a lista do Governo Federal, devem ser gastos R$ 9,3 milhões em obras de abastecimento de água. Em seguida, aparece projeto de R$ 8,1 milhões em Corumbá, para urbanização dos bairros Cristo Redentor e Guatós, sob competência do Ministério das Cidades. Em Iguatemi, no extremo sul, a 466 km de Campo Grande, a lista relaciona obras do Ministério das Cidades em área de várzea e lixão, com custo de R$ 1,6 milhão. Em Coxim, 260 km ao norte da Capital, deve ser retomada obra de urbanização da Lagoa Nova Coxim e Piracema I, orçadas em R$ 2,4 milhões.

Custo razoável

Segundo o presidente Temer, o custo total do plano de retomadas envolve uma “importância razoável” na casa dos R$ 2 bilhões. A relação de projetos, todos previstos no PAC 2 (Programa de Aceleração do Cresimento), foi obtida após discussão com os ministros, levando-se em conta empreendimentos considerados prioritários e com gastos entre R$ 500 mil e R$ 10 milhões cada.

“Esta tese de prosseguir nas obras que estão paralisadas tem em vista o que o governo quer. Gerar empregos. Estas obras terão como critério a transparência e inaugura o Governo Digital por meio do aplicativo Desenvolve Brasil, que será pioneiro na governança digital. Qualquer cidadão poderá acompanhar as ações e fazer sugestões”, afirmou Temer.

Lista

Abaixo a relação dos municípios e o número de obras em cada um deles. Detalhes, com nomes de de obras e municípios de todo Brasil, também podem ser conferidos na lista completa divulgada pelo Ministério do Planejamento.

Campo Grande – 16 obras
Dourados – 3
Ponta Porã – 2
Juti – 2

** Municípios abaixo, tem todos um projeto cada: Anastácio, Aquidauana, Bela Vista, Cassilândia, Coronel Sapucaia, Corumbá, Coxim, Douradina, Figueirão, Iguatemi, Ivinhema, Japorã, Ladário, Nioque, Pedro Gomes, Rochedo, Santa Rita do Pardo, Sete Quedas, Sidrolândia, Tacuru e Três Lagoas.

Comentários

comentários