MS sedia encontro com ministros de quatro países na quinta e na sexta

Com o objetivo de alavancar as exportações e melhorar o desenvolvimento econômico de Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado recebe nesta quinta (28) e sexta-feira (29) o grupo de trabalho que vai concretizar o projeto do Corredor Bioceânico.

O governador Reinaldo Azambuja (Foto: Chico Ribeiro )
O governador Reinaldo Azambuja (Foto: Chico Ribeiro )

O evento será realizado no Hotel Deville e contará com a participação do governador Reinaldo Azambuja (PSDB); do integrante do grupo de trabalho, Secretário de Infraestrutura Marcelo Miglioli; e de sete ministros e vice-ministros do Brasil, Chile, Argentina e Paraguai. No Brasil, Mato Grosso do Sul é o responsável pela execução do projeto.

O objetivo da criação da Rota Bioceânica é ligar comercialmente as cidade de Campo Grande, Porto Murtinho (Brasil); Carmelo Peralta, Mariscal Estigarribia y Pozo Hondo (Paraguay); Misión La Paz, Tartagal, Jujuy, Salta, Sico y Jama (Argentina) aos portos da região de Antofagasta e Mejillones e ainda de Iquique e Arica. Desta forma, o Porto de Antofagasta ligará através do Oceano Pacifico as economias do Brasil, Paraguai e Argentina com os mercados da Ásia e Oceania, assim como o Chile terá acesso a todos os mercados do Atlântico.

De acordo com o governador, durante o encontro no MS serão discutidas as possíveis implicações do projeto, entre elas as referentes à logística e à burocracia fiscal nas aduanas, as perspectivas econômicas criadas pelo corredor bioceânico, possibilidades de investimentos, oportunidades comerciais, projetos de interação produtiva nos quatro países, entre outros.

Azambuja destaca que além de reduzir o tempo de trânsito e o custo do serviço de transporte e armazenagem, a rota bioceânica vai trazer mais agilidade com o uso conjunto de diferentes modais para o escoamento da produção regional. “Já formalizamos com o Paraguai o acordo para a construção da ponte sobre o Rio Paraguai em Porto Murtinho. A partir dessa ponte será aberta uma rodovia que liga Carmelo Peralta que é na divisa com o Mato Grosso do Sul, até Marechal Estigarriba, na divisa com Argentina. O trecho no Paraguai totaliza 360 km e após pavimentado possibilitará a saída para o oceano Pacífico” explicou Reinaldo.

O Secretário Marcelo Miglioli revelou que o Paraguai já licitou o primeiro lote para um trecho da rodovia e reforçou o comprometimento dos países com o projeto. “O Governo de Mato Grosso do Sul trabalhou para viabilizar essa rota que deixou de ser um sonho e está passando a ser realidade, pautada em cima de fatos concretos. Os quatro países estão envolvidos em criar uma saída direta para o Pacífico. Estudos preliminares apontam que as exportações vão economizar 14 dias de navio no envio de produtos com destino à Ásia. Além disso, estamos solidificando a integração entre os países da América do Sul”, informou Miglioli.

Além do governador e secretário, estarão presentes o ministro dos Transportes do Brasil, Maurício Quintella Lessa; o Ministro de Indústria e Comércio do Paraguai, Gustavo Leite; ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Eladio Loizaga; vice-ministro de Obras Públicas e Comunicação do Paraguai, Juan Agustín Perez; Ministro do Interior, Obras Públicas e Habitação da Argentina, Rogelio Frigerio; Minstro de Obras Públicas do Chile, Alberto Undurraga; vice-ministro de Relações Exteriores do Chile, Edgardo Riveros.

O último encontro do grupo de trabalho que tratou da implantação da Rota Bioceânica foi realizado em Antofagasta e Iquique, no Chile, entre os dias 5 e 7 de maio. Na ocasião foram discutidos o plano de investimentos para criação da zona de desenvolvimento portuário de Antofagasta, considerada o ponto essencial para o futuro comercial da região, além de temas estratégicos das fronteiras como questão alfandegária, condições das estradas, ferrovias, aeroportos e portos.

Comentários

comentários