MS aparece com cinco faculdades entre as piores do Brasil em pontuação do MEC

Lúcio Borges

Apesar de serem “pouco conhecidas” e sem grande quantia de estudantes, cinco faculdades de cinco municípios de Mato Grosso do Sul apareceram na lista das piores instituições do Brasil. Os dados foram divulgados nesta terça-feria (20) pelo MEC (Ministério da Educação), que fez a avaliação pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). O órgão vinculado ao Ministério, mostra o resultado com 313 instituições no patamar de precariedade em todo país.

Contudo, os dados divulgados são referentes ao ano de 2015, sem se referir quais sanções aplicadas ou exigências para melhorar e se foram colocadas em pratica. Mas,  levantamento mostra que das 2.019 instituições de nível superior avaliadas, as 313 tiveram pontuações insatisfatórias. A avaliação foi nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas e áreas afins e os Eixos Tecnológicos em Gestão e Negócios, Apoio Escolar, Hospitalidade e Lazer, Produção Cultural e Design.

As instituições do Estado são as faculdades: FIC – “Integradas de Cassilândia”; Faculdade de Psicologia; Salesiana de Santa Tereza, em Corumbá; Teológica Batista ‘Ana Wollerman’, em Dourados; Faculdade de Campo Grande (Instituto CG). Todas receberam dois (2) de notas máxima, que é quase patamar final. Além de aparecerem com a nota igual ou pior em diversas avaliações anteriores.

As pontuações resultam o IGC (Índice Geral de Cursos), indicador oficial que considera a média dos CPC (Conceito Preliminar de Curso) dos cursos avaliados da instituição, no triênio de referência. O índice varia entre 1 e 5. As notas na faixa 1 e 2 indicam mau desempenho.

Por cinco vezes faculdades do Estado aprecem na lista das instituições de nível superior com pior desempenho.

Comentários

comentários