MPE quer que vereadores devolvam R$ 497 mil gastos em farra das diárias

O Ministério Público Estadual instaurou um processo civil público contra 10 vereadores de Ladário – distante 419km de Campo Grande, por improbidade administrativa devido ao recebimento indevido de diárias que chegam ao valor de R$ 497.508,50. O inquérito foi instaurado pela 5ª Promotoria de Justiça da Comarca de Corumbá para apurar denúncias referentes aos anos de 2011 a 2013.

O inquérito foi instaurado pela 5ª Promotoria de Justiça da Comarca de Corumbá para apurar denúncias referentes aos anos de 2011 a 2013.(Foto: Ascom PML)
O inquérito foi instaurado pela 5ª Promotoria de Justiça da Comarca de Corumbá para apurar denúncias referentes aos anos de 2011 a 2013.(Foto: Ascom PML)

O valor foi gasto somente entre 2011 e 2013 e os parlamentares extrapolaram, segundo o Ministério Público, as diárias de R$ 980 para viagens no Estado e R$ 1.250 para viagens fora.

Muitos viajaram durante o recesso legislativo, usando o dinheiro público para férias particulares. Segundo a ação, Emerson Valle Petzold usou R$ 39.950, Fábio Peixoto de Araújo Gomes gastou R$ 20.785, Paulo Henrique de Araújo Chaves usou R$ 67.124, Helder Naule Paes dos Santos Botelho gastou R$ 35.940, Mauro Botelho Rocha usou R$ 81.252, Mirian de Oliveira R$ R$ 35.772, Munir Sadeq Ramunieh R$ 34.929, Osvalmir Nunes da Silva R$ 47.729, Iranil de Lima Soares R$ 85.556 e Delari Maria Bottega Ebeling R$ 48.471.

Nos requerimentos de diárias não consta especificação dos motivos das viagens e todos eles utilizaram o mesmo texto para receberem o benefício. Também não foram informados quais os motivos das diárias e objetivos dos deslocamentos.

Iranil de Lima Soares e Mauro Botelho Rocha, que ocuparam o cargo de presidente da Câmara, assinam em benefício próprio pelas diárias

Comentários

comentários