MPE investiga possível irregularidade em gastos de 8 vereadores da Capital

Oito vereadores de Campo Grande estão na mira do MPE por falta de transparência nos gastos. Por este motivo um inquérito foi aberto para que os legisladores detalhem os gastos como a verba de gabinete por exemplo.

Vereadores não cumprem a lei da transparência Foto Izaías Medeiros -Câmara
Vereadores não cumprem a lei da transparência Foto Izaías Medeiros -Câmara

Na publicação do Diário Oficial do Ministério Público Estadual (MPE) da próxima segunda-feira (17), mas já disponível no site órgão, consta que quem vai comandar a investigação é o promotor Henrique Franco Cândia, da 31ª Promotoria de Justiça.

O inquérito civil vai apurar se houve o descumprimento da Lei de Acesso à Informação pelos vereadores que não disponibilizam no Portal da Transparência da Câmara, o detalhamento de como os valores recebidos são gastos.

Os vereadores alvo da investigação são: Airton Saraiva (DEM), Waldecy Batista, o Chocolate (PP), Magali Picarelli (PMDB), Paulo Pedra (PDT), Otávio Trad (PMDB), Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), Vanderlei Cabeludo (PMDB). O 8º investigado é José Orcírio (PT), que não está mais na Casa de Leis, ele foi eleito deputado federal nas eleições do ano passado,

VALORES

No Portal da Transparência da Câmara, é possível consultar os valores que os vereadores ganham bruto e líquido, no entanto, não há especificação de como eles gastam os valores recebidos para custear gabinete e as ações.

Os vereadores devem ser notificados da abertura da investigação na próxima semana.

Comentários

comentários