MP-SP denuncia Lula por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica

O Ministério Público de São Paulo denunciou nesta quarta-feira (9) o ex-presidente Luiz Inácio Lula por crime de ocultação de patrimônio, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro por causa da suposta compra do triplex no Guarujá.

Lula aparece ao lado de Roberto Moreira, diretor de incorporação da OAS, e Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS (Foto: TV Globo/Reprodução)
Lula aparece ao lado de Roberto Moreira, diretor de incorporação da OAS, e Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS (Foto: TV Globo/Reprodução)

O promotor Cassio Conserino entrou no Forum Criminal da Barra Funda com denúncia criminal contra o ex-presidente Lula.

O apartamento em que a investigação está centrada é o tríplex 161, de quase 300 metros quadrados, de frente para o mar, e localizado no edifício Solaris.

O procedimento é um desdobramento do processo que apurou estelionato na Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), que tramita na 5º vara criminal central de São Paulo. Segundo o MP-SP, a Bancoop deixou de entregar os apartamentos de seus associados, e cerca de três mil famílias ficaram sem residência. A cooperativa faliu em 200

O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, foi implicado nessa ação penal. Ele é dono de um apartamento no mesmo prédio do triplex cuja reforma é investigada. Vaccari também é réu por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Operação Lava-Jato, que apura desvios de recursos em contratos da Petrobras.

Após a falência da Bancoop, a OAS assumiu a entrega de alguns dos imóveis com as obras de construção já iniciadas, segundo o MP-SP. O inquérito narra que a OAS também assumiu a reforma do apartamento no Guarujá, que custou R$ 788 mil, de acordo com documentos que constam dos autos. O tríplex que seria de Lula e seus familiares está avaliado em cerc

Até agora foram ouvidos no inquérito nove moradores do prédio, além dos proprietários e funcionários do edifício e dois engenheiros da OAS. Testemunhas confirmam que o imóvel era frequentado por familiares de Lula. Elas também dizem que José Aldemário Pinheiro Filho, o Leo Pinheiro da OAS, condenado por corrupção na Lava-Jato, esteve no edifício ma

O apartamento atribuído à família de Lula é o único do prédio que dispõe de elevador privativo, de acordo com o MP-SP. Os investigadores afirmam contar com “evidências documentais e circunstanciais” que comprovariam o crime de lavagem de dinheiro (ocultação de patrimônio) tendo como ponto de partida o delito de estelionato.

O Instituto Lula nega que o ex-presidente seja dono do apartamento. Em nota divulada no dia 31 de janeiro, a assessoria do ex-presidente argumenta que ele nunca foi dono do apartamento, mas somente proprietário de cotas de um projeto da Bancoop, cooperativa do Sindicato dos Bancários de São Paulo, adquiridas por sua esposa, Marisa Letícia. A cooperativa se tornou insolvente e transferiu imóveis inacabados para a construtora OAS. O texto diz que a família do ex-presidente Lula investiu R$ 179.650,80 na compra da cota, que foi declarada à Receita e ao Tribunal Superior Eleitoral, segundo a assessoria do petista.(Com informações da GloboNews)

Comentários

comentários