Morte de ex-vereador pode ter sido queima de arquivo

buenoO empresario e ex-vereador de Campo Grande, Alceu Bueno, teve identidade confirmada em corpo carbonizado encontrado na manhã desta quarta-feira (21), em área dentro do Parque dos Poderes. A morte de Bueno, a ser investigada, deve ter contornos de queima de arquivo, devido a violência aplicada e em provável consequência de seu envolvimento e denuncias feitas, quanto a diversos crimes na Capital, em especial ao que se refere a rede de exploração de prostituição infanto-juvenil.

A confirmação que o corpo é de Bueno, foi feita pela família e avalizado pelo Imol (Instituto Médico Legal), que confirmou inicialmente a identidade, por conta de um pino no braço do empresário. Além das suspeitas e ou provas, pela manhã, de um celular encontrado junto ao corpo carbonizado, compatível ao que pertencia a ele, conforme o Página Brazil havia noticiado e publicado em vídeo, o trabalho da Polícia no local.

A queima de arquivo ventilada, já ocorre porque Bueno foi morto por estrangulamento, antes do corpo ter sido também incendiado, já que a língua estava pra fora da boca. Será investigado se ele foi executada no local ou se apenas foi desovada na estrada do Parque dos Poderes.

De acordo com informações extra-oficiais, a filha dele, Thaysa Bueno, está neste momento na sede da Delegacia de Homicídios, localizada na Cepol (Centro de Polícia Especializada), no bairro Tiradentes, em Campo Grande. Ela teria chegado acompanhada da advogada Renata Freitas por volta das 11 horas no local e presta depoimento sobre o caso. A esposa de Alceu, Iolanda Bueno também teria ido ao local, mas saiu logo em seguida.

O delegado Edilson dos Santos Silva apenas informou que há um carro desaparecido e, por essa razão, o Garras também entrou no caso. A família registrou Boletim de Ocorrência sobre o desaparecimento. O ex-parlamentar sumiu na noite de ontem (20).

O caso

Uma pessoa foi encontrada com 98% do corpo carbonizado na Rua Avanhandava, no Parque dos Poderes. De acordo com o delegado titular da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga, Camilo Kettenhuber Cavalheiro, a vítima aparentava ser do sexo masculino, entre 30 e 40 anos.

Há indícios que Alceu tenha sido vítima de estrangulamento, uma vez, que o corpo estava com a língua protrusa (para fora). “Mas nós devemos trabalhar com todas as linhas de investigação, uma vez que pode ter sido um estrangulamento, ou uma desova, ou queimado”, explica o delegado.

Comentários

comentários