Moreno decide contra o Paraguai, tira a Bolívia da lanterna e complica o adversário

Marcelo Moreno voltou a balançar as redes após quase um ano sem marcar com a camisa da seleção boliviana. E ele foi decisivo. Garantiu a vitória por 1 a 0 sobre o Paraguai, nesta terça-feira, em La Paz, no jogo que abriu a 12ª rodada das eliminatórias sul-americanas. De quebra, tirou da lanterna a equipe de Guillermo Hoyos, que jogou com um a menos durante boa parte do segundo tempo, e ainda complicou a vida dos visitantes na briga por uma das vagas na Copa.

ESPN
ESPN

ESTRAGA PRAZERES

Punida pela Fifa pela escalação irregular do zagueiro Nelson Cabrera contra Peru e Chile, a Bolívia tem chances remotar de ir à Rússia em 2018. Ao menos, com a vitória, chegou aos sete pontos e jogou a Venezuela para a lanterna das eliminatórias. Já os paraguaios estacionaram nos 15 e perderam boa chance de pressionarem Argentina, Chile e Colômbia na briga. O sonho da Copa ficou bem mais distante para a equipe de Francisco Arce.

VITÓRIA JUSTA COM UM A MENOS

A Bolívia dominou a etapa inicial com mais finalizações (10 x 3), sobretudo aquelas de longa distância. Já o Paraguai assustou quando chegou, em especial em duas ocasiões, com Gustavo Gómez aos 11 e Iturbe aos 41.

Na volta do intervalo, os visitantes cresceram e até sonharam com a vitória, muito por conta da expulsão de Valverde aos 15. Só que um contra-ataque boliviano aos 32 terminou no gol de Moreno, que contou ainda com a ajuda de Gustavo Gómez. Nos acréscimos, Duk recebeu sozinho de Moreno e ainda carimbou o travessão, perdendo grande chance de ampliar. Nada que fizesse falta…

CHORO E GOL

Apagado no primeiro tempo, logo quando a Bolívia mais dominou, Marcelo Moreno cresceu no segundo tempo. Obrigou Anthony Silva a fazer grande defesa, deixou Duk na cara do gol (ele parou no travessão) e ainda fez o seu. Aí, o camisa 9, que não marcava desde a Copa América de 2015 pela sua seleção, não se aguentou e desabou em lágrimas. Bonita cena

ADEUS EM FESTA

Antes do jogo, o capitão Walter Flores, que faz seu último jogo pela Bolívia, se despediu da seleção e recebeu homenagem dos companheiros. Do outro lado, Roque Santa Cruz, que deu seu adeus à torcida paraguaia na derrota para a seleção peruana, sequer foi a campo e ficou no banco durante os 90 minutos.

 

Comentários

comentários