Moradores protestam contra "ruas que viraram funis para shopping"

DSC_0004Moradores das ruas Paraná e José Gomes Domingues, no bairro Santa Fé, que fica exatamente atrás do shopping Campo Grande, reclamam há tempos da quantidade de veículos que ficam estacionados nas ruas estreitas estreitas durante à semana, porque seus condutores não querem pagar o estacionamento do centro comercial. Agora alguns moradores alegam ter mais alguns motivos para reclamar: a Agência Municipal de Trânsito (Agetran) realizou um reordenamento das vias da região, redefinindo mãos e contramãos. A ação tornou vias de mão única a rua Paraná – que nasce na rua Ceará e termina na rua João Akamine – e a rua José Gomes Rodrigues, que passou a ser mão-única em um trecho, no sentido Mato Grosso-Rua Paraná. Os moradores realizaram um protesto nesta manhã e fixaram um banner em um poste, em que afirmam:

IMG_20150613_113441

“A mão desta rua está errada! R.Paraná, entre as ruas Ceará e João Akamine.
Deste ponto (R.José Gomes Domingues até a R.Ceará) tem 100 metros, mas pela nova sinalização, temos que percorrer 700 metros. Sr.prefeito e vereadores, tomem providências”, traz a faixa assinada “pelos moradores desta região do bairro Santa Fé”.

De acordo com o morador Fernando Dauer “foi muito bom a decisão de tornar a a rua José Gomes Rodrigues – rua sem saída que termina atrás do shopping Campo Grande – em mão única, mas é incorreto fazer a rua ser mão única apenas em parte dela”. Uma metade é mão única, a outra não. Isso ocasiona acidentes”, afirmou o morador que reivindica que “a rua José Gomes Rodrigues seja mão única desde a avenida Mato Grosso até a rua Paraná. “A rua já tem o trânsito complicado por conta da estreiteza das vias e da quantidade de carros de frequentadores do shopping que não querem pagar estacionamento e ainda vai ser mão dupla em trecho?

“A situação foi agravada porque agora as duas ruas que desembocam atrás do shopping ficam entupidas de carros disputando lugar para estacionar enquanto os moradores mal conseguem entrar ou sair dos prédios das residências e prédios nas duas ruas”, disse um morador que preferiu não ter o nome citado na reportagem. “Agora as duas ruas viraram ‘funis’, que praticamente estimulam as pessoas a buscarem este local para estacionarem seus carros, ao invés de permitir um trânsito normal de automóveis que entrem, saiam e passem por aqui. A Agetran afirma que já terminou o reordenamento. Como? Cadê a sinalização horizontal da Paraná, a partir da Ceará? Não tem! E olha a quantidade de motos estacionadas aqui, estreitando a rua. Eles disseram que iam proibir que elas estacionassem aqui em 45 graus. Cadê a fiscalização?”, relacionou o morador anonimamente.

Outro morador, Marcel Tolentino Pinheiro de Oliveira, acredita que “sempre tem os contras de mudanças, só que em compensação, hoje a gente pode descer a José Gomes Domingues sem ter que desviar dos carros que estão subindo, enquanto na outra rua a gente pode subir a outra rua (João Akamine) sem que tenha outro carro descendo, então foi uma mudança boa” “No horário da tarde, o pessoal que vem para o shopping acaba estacionando em todas as vagas aqui e daí fica cheio”, considerou.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários