Moradores destacam que conscientização faz a diferença na Guerra ao Aedes aegypti

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Os moradores dos bairros de Campo Grande atendidos pela Campanha Guerra ao Mosquito Aedes aegypti, uma iniciativa realizada pela Fiems e Sesi com o apoio da TV Morena e DGPC (Delegacia Geral da Polícia Civil) para disseminar informações de conscientização da população sobre as formas de combate ao vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus, destacam que a conscientização faz a diferença nessa luta.

Nos bairros Noroeste, Veraneio, Panorama, Maria Aparecida Pedrossian, Oiti, Estrela Dalva, Novos Estados, Vila Nascente, Vila Jacy, Taquarussu, Guanandi, Caiçara, Oliveira I, II e III, Bom Jardim, União, Portal Caiobá, Coophavilla, Tarumã, Batistão, Rancho Alegre, Tijuca, Nhá-Nhá, Marcos Roberto, Piratininga e Vila Carvalho, já é possível ver que a população está tentando exterminar o inimigo. “A campanha é mais um alerta. A maioria das pessoas já sabe sobre os cuidados com a limpeza, mas só funciona se você cuidar do seu quintal e o vizinho também”, destacou Maria Eugênia da Silva Jacinto, 68 anos, que é moradora da Vila Nhá-Nhá e recebeu nesta segunda-feira (18/01) a visita da equipe.

A dona de casa Ivanete Maria dos Santos, 42 anos, que também é moradora da Vila Nhá-Nhá, disse que ninguém da família teve dengue, mas acredita que a conscientização faz toda diferença para a população. “Aqui em casa mantenho tudo muito limpo e também fico de olho nos vizinhos porque cada um tem que fazer sua parte. Ainda assim atendo as equipes e recebo as orientações porque informação nunca é demais”, disse.

O comerciante Luiz Carlos da Silva, 45 anos, outro morador da Vila Nhá-Nhá, fixou um cartaz da campanha no seu estabelecimento e avalia que cada um precisa fazer a sua parte. “Nosso grande problema hoje são os terrenos baldios, porque mesmo cada vizinho limpando nosso espaço ainda tem muito mato e quando chove ficam poças de água”, pontuou.

Após quase um mês de trabalho a Campanha Guerra do Mosquito Aedes aegypti já atingiu 63.930 domicílios – a meta são 150 mil residências -, o número de pessoas atendidas já está em 239.134 – a meta é de 600 mil pessoas – e 3.492 empresas – a meta é atingir 3.600. Para o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, o indicador é positivo e demonstra o empenho das equipes em realizar o trabalho, que segue dentro do cronograma. “O desemprenho das equipes está sendo fundamental para conseguirmos bons resultados, sem dúvida este é um grande e importante diferencial, principalmente quando estamos caminhando por uma região mais populosa”, declarou.

No período de 25 a 29 de janeiro, a campanha será na região da Vila Carlota, enquanto nos dias 1º e 2 de fevereiro a iniciativa estará no Bairro Itamaracá, de 3 a 5 de fevereiro, na região do Tiradentes e, no período de 11 a 12 de fevereiro, a ação será na região do Nova Lima. A Guerra ao Mosquito conta com uma unidade móvel do Sesi, seis automóveis, um carro de som e 30 agentes contratados, promovendo caminhada com panfletagem e realização de visitas domiciliares.

Fiems

Comentários

comentários