Modalidades Individuais: MS volta dos Jogos Escolares com 11 medalhas

(Foto Divulgação)
(Foto Divulgação)

A delegação de Mato Grosso do Sul chega à Capital nesta terça-feira(8), trazendo na bagagem 11 medalhas conquistadas nos Jogos Escolares da Juventude, em Fortaleza: dois ouros, seis pratas e três bronzes. Somente no judô foram cinco (um ouro e quatro pratas). Na natação foram uma prata e um bronze; na luta olímpica dois bronzes e no atletismo um ouro e uma prata.

Hellen Martins Messias no salto em distância e Leonardo Maganha no judô (até 58kg)abocanharam o ouro. Hellen atingiu a melhor marca escolar na prova, em todos os tempos. Quebrou o recorde na qualificatória e na final, atingindo 5,49m. Leonardo venceu cinco lutas difíceis até chegar ao lugar mais alto do pódio. O garoto que foi segundo nos Jogos Escolares de Mato Grosso do Sul, substituiu o campeão, pouco mais de uma semana antes da competição.
Dedicou-se, lutou firme e concentrado e conseguiu o primeiro lugar.
O judô ainda rendeu ao Estado outras quatro pratas. Gian Carlos Souza Coutinho (até 48kg) e Lorraine dos Santos Batista (até 40kg) repetiram o resultado de 2014. Roberta Azambuja Paiva (até 58kg) e Guilherme Luis de Souza Silva (até 40kg) subiram ao pódio pela primeira vez.
Outra estreante medalhista é Bruna Vieira de Jesus. Ela ficou com a prata no lançamento de dardo, ao atingir a marca de 42,23m e garantiu vaga no sul-americano escolar.
Na luta olímpica, os bronzes foram conquistados por Assíria Daniela Maurício da Silva (44 até 52kg) e Fernando Martins Carmo Valdez (66 até 73kg).
Na natação prata para Luis Henrique Melo Vieira nos 50m peito e bronze para Caio França nos 400m livres. Os dois participaram dos primeiros Jogos Escolares da Juventude e esperam voltar no próximo ano. O mesmo vale para Bruna e Guilherme.
Dez medalhistas chegam ao aeroporto de Campo Grande às 8h30. Leonardo Maganha, dono do ouro no judô, desembarca às 17h.
Os Jogos Escolares da Juventude continuam até o dia 13. A partir desta quarta-feira, a disputa começa nas modalidades coletivas.
Fundesporte

Comentários

comentários