Ministro George Hilton visita Campo Grande neste sábado, Dia Nacional de Mobilização Zika Zero

Governo Federal mobiliza 220 mil militares para orientar a população a combater o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e Zika 

O ministro do Esporte, George Hilton, participa neste sábado (13/2), em Campo Grande (MS), do Dia Nacional de Mobilização Zika Zero. A programação começa às 8h (9h de Brasília) da manhã, na Praça Ary Coelho. O ministro, em companhia da vice-governadora e secretária de Estado de Direitos Humanos e Assistência Social e Trabalho (SEDHAST), Rose Modesto, fará a distribuição de kits e folders com explicações das medidas de prevenção.

12minis

 

Em todo o país, são mobilizados 220 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica para a ação; em Mato Grosso do Sul, serão 11.000 homens. Cerca de 4 milhões de panfletos informativos serão distribuídos em mais de 350 municípios, dentre eles os 115 municípios que tiveram incidência de dengue acima de 100 casos para cada 100 mil habitantes nos meses de novembro e dezembro de 2015. Nas casas que estiverem vazias, o material informativo será deixado nas caixas de correspondência. Os donos de estabelecimentos comerciais também serão orientados a fixar cartazes em local visível e de fácil acesso.

Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, haverá uma nova ação de combate ao foco dos mosquitos com a participação de 50 mil militares que estão sendo treinados para atuar nas regiões a serem indicadas pelas prefeituras e pelo Ministério da Saúde. Esta ação será de combate ao mosquito, e não apenas de orientação, e deverá incluir a aplicação de larvicidas e inseticidas.

Enquanto ainda não existe disponível no mundo uma vacina para o vírus Zika, o combate aos focos do mosquito é a única forma de prevenção da doença, protegendo gestantes e crianças. Esse vírus tem sido associado ao aumento de casos de microcefalia em bebês quando as mães são infectadas durante a gestação.

PLANO NACIONAL – A iniciativa faz parte dos esforços do Governo Federal  previstos no Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes e à Microcefalia, lançado pela presidente Dilma Rousseff em dezembro do ano passado. Ao todo, 19 ministérios e outros órgãos federais estão mobilizados para atuar conjuntamente neste enfrentamento, que contará também com a participação dos governos estaduais e municipais.

Vale lembrar que, desde o dia 1º de fevereiro, o Governo Federal autoriza a entrada forçada de agentes públicos de combate ao Aedes em imóveis públicos ou particulares que estejam abandonados, ou em locais com potencial existência de focos, no caso de ausência de pessoa que possa permitir o acesso ao local. Para ficar comprovada a ausência de quem autorize a vistoria, é necessário que o agente realize duas notificações prévias, em dias e horários alternados e marcados, num intervalo de dez dias.

O Brasil tem ainda um programa permanente de prevenção e controle do Aedes aegypti, com ações compartilhadas entre União, estados e municípios, durante todo o ano. Os recursos federais destinados ao enfrentamento ao mosquito cresceram 39% nos últimos anos (2010-2015), passando de R$ 924,1 milhões para R$ 1,29 bilhão neste ano. Para 2016, a previsão é de um incremento de R$ 580 milhões, uma vez que o valor chegará a R$ 1,87 bilhão. Além disso, foi aprovado no orçamento um adicional de R$ 500 milhões para esta operação.

Comentários

comentários