Ministério Público denuncia lutador por morte de hóspede em hotel

O Ministério Público Estadual ofereceu denúncia contra o lutador de jiu-jitsu Rafael Martinelli Queiroz de 27 anos, acusado de espancar um hóspede, o eletricista Paulo César de Oliveira, 49, de hotel até a morte no último dia 18 de abril..

Rafael também teve os pedidos de prisão domiciliar e cela especial negados.
Rafael também teve os pedidos de prisão domiciliar e cela especial negados.

Se a Justiça acatar, ele será indiciado pelos crimes de lesão corporal, homicídio qualificado e resistência qualificada. Além de pedir a pena para estes três crimes, o promotor de Justiça substituto João Meneghini Girelli se manifestou contra a concessão de cela especial e prisão domiciliar.

O lutador natural de Araçatuba (SP) e radicado em Valparaíso (SP) veio a Campo Grande para competir em um evento de Jiu-Jitsu no Círculo Militar, do qual foi desclassificado por não ter comparecido no momento da disputa, na noite do dia 18. Ele então retornou, por volta das 22h05, para o Hotel Vale Verde, onde estava hospedado com a namorada Carla Maiara de Medeiros Dias em um quarto no segundo andar.

Na ocasião, o lutador agrediu a namorada, que conseguiu se desvencilhar e fugir. Martinelli então teria passado a arrombar as portas dos outros quartos. Quando chegou ao quarto 216, o lutador matou o hóspede, utilizando uma cadeira.

O crime foi classificado como homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Comentários

comentários