Ministério da Saúde anuncia sete novas vagas para MS no ‘Mais Médicos’

mais-medicosO estado de Mato Grosso do Sul receberá sete novos médicos pelo programa ‘Mais Médicos’ do governo federal, que irá se “nacionalizar”, como vem denominando a atual administração do Ministério da Saúde. A pasta da Saúde anunciou nesta terça-feira (8) a abertura de mil vagas para profissionais do Brasil, no âmbito do programa, criado pela então presidente Dilma Roussef em 2013. Apesar do número mil, somente sete novas vagas serão para MS, na nova proposta de ampliar a participação de brasileiros no Programa, por meio da substituição de médicos cubanos que estão no país e participam da ação criada em 2013, por meio de acordo de cooperação com a Opas (Organização Pan-americana da Saúde). O edital oficial com o chamamento e número de vaga deve ser lançado na próxima sexta-feira (11).

O ‘Mais Médico’, à época de sua criação, teve ação criticada, pois abrangia e foi feita parceria com um dos países de maior especialidade na medicina do mundo, Cuba, que enviou a maior parte dos médicos, para o Brasil a um custo mais reduzido e que seguiam para as mais remotas áreas do interior do país, onde os profissionais nacional, não iam com facilidade. Hoje, de acordo com o Ministério, das mil vagas em 462 municípios, 838 estão ocupadas atualmente por profissionais cubanos e 166 são relativas à reposição de desistentes.

A meta do governo é substituir um total de 4 mil médicos cooperados por profissionais brasileiros no prazo de três anos, reduzindo de 11,4 mil para 7,4 mil o número de participantes cubanos. Parte da estratégia adotada, segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, é ofertar vagas em locais que estão entre as opções mais escolhidas pelos candidatos nas últimas seleções e que, atualmente, são ocupadas por cubanos.

O ministro lembrou que o Mais Médicos foi criado com uma proposta de três pilares: convênios, formação de novos profissionais por meio da abertura de cursos e ampliação da residência médica. “Nossa visão de médio prazo é que, ao final, teremos oferta de médicos brasileiros para ocupar essas vagas”, completou.

info_mais_medicosNúmeros total e Renovação

Atualmente, dos 18.240 médicos participantes do programa, 5.274 são formados no Brasil (29%), 1.537 têm diplomas do exterior (8,4%) e 11.429 fazem parte do acordo de cooperação com a Opas (62,6%). Mais de 63 milhões de famílias, de acordo com o governo, são assistidas por esses profissionais.

Em setembro, legislação aprovada pelo Congresso Nacional permitiu a prorrogação, por mais três anos, da atuação de médicos estrangeiros no Mais Médicos. Com isso, quase 90% dos profissionais intercambistas selecionados por edital e que participam do programa optaram por permanecer na iniciativa.

O edital

Neste primeiro edital, a maioria das vagas se concentra em capitais, regiões metropolitanas e municípios com mais de 250 mil habitantes.

Outra novidade, segundo a pasta, é que o médico terá 15 dias para permutar sua vaga com outro profissional selecionado. Com isso, o governo espera que os candidatos tenham mais uma chance de garantir a atuação onde desejam.

As inscrições serão realizadas entre 20 de novembro e 23 de dezembro. As vagas que não forem preenchidas por médicos brasileiros com atuação no país serão ofertadas a brasileiros formados no exterior.

A previsão do ministério é que, a cada três meses, um novo edital seja publicado com novas vagas para o Mais Médicos.

 

 

Comentários

comentários