Mesmo com Lula substituindo Dilma, programa do PT na TV ganha “panelaço”

PanelaçoMesmo sem contar com a participação da presidente Dilma Rousseff ou com representantes do atual governo, o programa partidário do PT na TV, exibido na noite desta terça-feira, não foi bem recebido pela população. Algumas capitais do Brasil, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Salvador e Recife, registraram protestos com “panelaços” nas casas e apartamentos e “buzinaço” dos carros nas ruas. Algumas residências também reagiram piscando as luzes como sinal de reprovação à situação.

O programa anual do partido, exibido em cadeia nacional de rádio e TV teve duração de dez minutos e se dedicou a passar mensagens de otimismo e afirmações de que o Brasil já enfrentou e venceu crises piores do que a atual. Sem as participações de Dilma e de qualquer parlamentar ou ministro do atual governo, o partido preferiu dar mais espaço a personagens, que deram depoimentos sobre programas sociais como o Minha Casa, Minha Vida e transmitiram a mensagem de que é preciso trabalho e otimismo para vencer a crise.

O casal de âncoras que comandou o programa apresentou um histórico do PT, disse que o partido mudou o Brasil e conseguiu vencer uma luta histórica contra a fome e a miséria. Em uma das cenas, os apresentadores questionaram “por que tanto ódio e intolerância a um partido neste momento que o Brasil precisa de união?”. Segundo o PT, a crise que o Brasil atravessa é mundial, e o país hoje está em melhores condições de enfrentá-la que em momentos anteriores da história.

Conquistas sociais

No programa, o partido mostrou realizações e conquistas dos governos do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma, em que milhões de brasileiros saíram da pobreza e conquistaram a casa própria. O PT também destacou a criação de 20 milhões de empregos com carteira assinada nos governos Lula e Dilma, a valorização do salário mínimo e o aumento da renda dos brasileiros mais pobres. No programa, o partido disse que valoriza as mulheres e que elas vêm conquistando mais espaço nos governos petistas.

Desagravo a Lula

Nenhum parlamentar ou ministro do partido apareceu no programa partidário. As únicas lideranças políticas a falar na gravação foram Lula e o presidente nacional do PT, Rui Falcão, que destacou as conquistas dos governos do partido e a “elevação da autoestima” do brasileiro. Falcão também disse que não permitirá que nenhuma dificuldade traga insegurança às famílias. Segundo o presidente da legenda, o Brasil vai voltar a crescer sem recuar nos direitos, na renda e nos salários dos trabalhadores.

Antes da fala de Lula, o partido fez uma homenagem a ele e condenou as pessoas que, segundo o PT, tentam “manchar a imagem” do ex-presidente. Lula aproveitou seu espaço no programa para listar avanços do Brasil nos últimos anos em relação a outros países. Segundo o ex-presidente, as conquistas dos governos petistas “incomodam os adversários”. Lula admitiu erros, mas disse que os equívocos foram menores que os acertos e que o Brasil tem tudo para voltar a crescer.

O ex-presidente insistiu no discurso de que as críticas aos petistas e ao governo vem de uma elite que “não gosta de dividir a poltrona do avião com o povo”. Ele também destacou no programa que “virou moda falar mal do Brasil”, mas quem faz isso “fica minando a confiança” no futuro do país. Passando ao largo da grave crise econômica, ele afirmou que tem “muito mais confiança no país, hoje, do que tinha em 2003”. (Terra, com informações da Agência Brasil)

Comentários

comentários