Menino morre afogado após tentar capturar ‘monstrinho’ do Pokémon Go

Criança caiu em lagoa de 8 metros de profundidade

Rio Grande do Sul – Um menino de nove anos morreu afogado na tarde dessa segunda-feira, em Imbé, litoral norte do Rio Grande do Sul, após entrar em um barco para tentar capturar um monstrinho do jogo “Pokémon Go”, que estava dentro de uma lagoa. A vítima estava com um amigo, que sobreviveu.

De acordo com a polícia, criança desequilibrou em caiu em lago Foto: AFP
De acordo com a polícia, criança desequilibrou em caiu em lago Foto: AFP

De acordo com o Corpo de Bombeiros da cidade, Arthur Bobsin Ferreira entrou em um bote de fibra e quando estava no meio da lagoa, desequilibrou e caiu no local — que tem aproximadamente 8 metros de profundidade. O acidente aconteceu por volta das 15h. O colega da vítima, que não teve o nome e nem a idade divulgada, contou que ambos procuravam capturar um pokémon, quando decidiram e caíram da embarcação.

O corpo foi encontrado por volta das 20h, por mergulhadores e voluntários.

Pelo menos, oito mergulhadores trabalharam na busca de Artur. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Osório. O caso será investigado pela Delegacia de Imbé.

Pokémon Go

O Pokémon Go é um jogo de realidade aumentada feito para smartphones. Através dele, os jogadores apontam a câmera do telefone para diversos locais e, na tela, aparecem os “monstrinhos”. O objetivo é caçar o maior número de bichos, que ficam espalhados por diversos locais de cidades.

Fenômeno mundial

Desde que chegou aos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia em 5 de julho, o “Pokémon Go” se transformou em um fenômeno. No Brasil, brincadeira foi lançada no último dia 3 de agosto. O jogo valorizou as ações da Nintendo, tornou-se mais usado que Twitter e Tinder e provocou todo tipo de fenômeno. Por conta da busca desenfreada pelos monstrinhos, departamentos da polícia por todo o mundo vem alertando para que os jogadores tomem cuidado. (O DIA)

Comentários

comentários