Menino de 9 anos que comoveu ao usar luz de lanchonete para estudar ganha bolsa em escola

O menino de 9 anos que comoveu a Internet ao ser fotografado estudando sob a luz de uma lanchonete do McDonald´s numa rua na província de Cebu, nas Filipinas, está recebendo ajuda para conseguir ter uma vida melhor. Ele recebeu material escolar, doações em dinheiro e uma bolsa de estudos, segundo informações do “Sky News”.

Após o sucesso na internet, o menino Daniel Cabrera recebeu uma bolsa de estudos Foto: Reprodução/ Facebook/ Joyce Torrefranca Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/menino-de-9-anos-que-comoveu-ao-usar-luz-de-lanchonete-para-estudar-ganha-bolsa-em-escola-16723243.html#ixzz3fVOTX94m
Após o sucesso na internet, o menino Daniel Cabrera recebeu uma bolsa de estudos Foto: Reprodução/ Facebook/ Joyce Torrefranca

O registro de Daniel estudando foi feito e publicado no Facebook pela estudante de Medicina Joyce Torrefranca no último dia 23 de junho. Daniel Cabrera, de 9 anos, costuma ficar perto da lanchonete para estudar porque o local onde mora não tem luz. O menino contou à rede “ABS-CBN” que quer terminar os estudos para ajudar a família e ser policial ou médico.

Maria Christina Espinosa com o filho Daniel: o menino quer estudar para deixar de ser pobre
Maria Christina Espinosa com o filho Daniel: o menino quer estudar para deixar de ser pobre Foto: STR / AFP

A mãe dele, Maria Christina Espinosa, contou à agência “France Press” que ela está vivendo numa loja onde trabalha desde que o cortiço onde vivia com os cinco filhos foi destruído há cinco anos. Ela afirmou também que o pai de Daniel morreu de diarreia grave em 2013 e, desde então, o pequeno está concentrado nos estudos.

“Ele é um menino muito estudioso e determinado. Ele insistia em ir para a escola mesmo sem o dinheiro do almoço porque eu não tenho dinheiro para dar. Ele sempre me diz: ‘Mamãe, eu não quero ser pobre. Eu quero alcançar meus sonhos”, contou.

A igreja local e do governo ajudarão a família. A chefe do escritório de serviço social local, Violeta Cavada disse que Daniel virou um símbolo de meninos pobres de favelas na cidade que não podem estudar porque não têm eletricidade.

EXTRA

Comentários

comentários