Médicos decidem encerrar greve e retomam atendimento nos postos

Da Redação com informações TV Morena

Os médicos da prefeitura de Campo Grande encerraram a greve na noite de quinta-feira (29) após reunião com o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e decisão judicial. A paralisação havia começado na manhã de segunda-feira (26), mesmo a Justiça tendo negado aval para o movimento.

Reunião entre médicos, enfermeiros, odontológicos e prefeito Maquinhos Trad (Foto: Reprodução/TV Morena)

Diante da negativa, o Sindicato entrou com pedido de liminar para que a Justiça reavaliasse o posicionamento sobre a ilegalidade do movimento.

Na decisão sobre essa solicitação, o juiz da 1ª Vara de Fazenda Pública de Campo Grande, José Eduardo Neder Meneghelli, determinou a busca e a apreensão dos carros do presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul (Sinmed), Flávio Freitas Barbosa, além do bloqueio de R$ 20 mil das contas dele.

O magistrado determinou ainda que a Polícia Civil apure eventual responsabilidade penal do presidente do Sindicato dos Médicos, por descumprir ordem judicial.

Flávio Barbosa comentou a decisão. “Como a greve se encerrou, no meu entendimento, ela é de imediato a extinção da objetividade do processo. Consequentemente, o tempo que correu isso vai ser analisado com o jurídico, com as partes e posteriormente ter uma nova decisão”.

O encontro entre o prefeito e os profissionais da saúde foi na sede do Sindicato dos Médicos. A assembleia durou pouco mais de uma hora e meia. A maioria da categoria decidiu pelo fim da greve.

O resultado tem a ver com o que foi combinado um pouco antes em outra reunião entre a equipe do Executivo e representantes de médicos, enfermeiros e odontólogos. As categorias negociam reajustes salariais e fizeram uma única proposta ao executivo: incorporar ao salário-base horas extras e adicionais, conhecidos como benefícios.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Médicos, Flávio Freitas Barbosa, os profissionais recebem até quatro gratificações. “O médico possui também algumas gratificações que são pagas através de decreto municipal, elas somam quatro gratificações nesse total. Alguns recebem todas elas, outros médicos nem todas, às vezes tem médico que não recebe nenhuma”.

O presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Ederson Fritz, também comentou o reajuste. “O reajuste é zero. A incorporação, ela já faz parte do rendimento do servidor. Então, ele tá só tirando de produtividade e colocando como salário-base, é só isso”.

A prefeitura prometeu dar uma resposta às categorias em um novo encontro na próxima segunda-feira a tarde. “Nós vamos analisar todos os números, todas as incorporações para ver o impacto até porque existe uma lei de responsabilidade fiscal onde nós não podemos ultrapassar o limite prudencial,” explica o prefeito Marquinhos Trad.

Comentários

comentários