McDonald’s encerra parceria com Olimpíadas após 41 anos

Agências/JP

Ronald McDonald na Olimpíada de Sidney 2000. Parceria começou em 1976 (Foto: Nick Laham/Staff/Getty Images)

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou nesta sexta-feira o fim de uma parceria de 41 anos: o McDonald’s deixou de ser patrocinador oficial dos Jogos Olímpicos, três anos antes do fim do contrato. A ruptura foi uma opção da rede americana de fast-food.

De acordo com o diretor de marketing do COI, Timmo Lumme, o McDonald’s encerrou a parceria por “estar com foco em diferentes prioridades de negócio”. A entidade não revelou detalhes sobre o fim do contrato e afirmou que o acordo de término do vínculo é confidencial.

“Como parte de nosso plano global de crescimento, nós estamos reconsiderando todos os aspectos de nossos negócios e tomamos essa decisão em cooperação com o COI para focar em diferentes prioridades”, completou a diretora de Marketing do McDonald’s, Silvia Lagnado, no comunicado divulgado pelo COI.

O McDonald’s era patrocinador do COI desde 1976 e detinha os direitos exclusivos sobre “serviços de comida por varejo” em eventos da entidade. A última renovação de contrato tinha prazo de oito anos e o vínculo deveria ser encerrado somente em 2020, nos Jogos de Tóquio.

A empresa americana fazia parte do grupo de 13 patrocinadores que, juntos, injetam mais de 1 bilhão de dólares a cada ciclo olímpico, com contrato vigente até o fim dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang de 2018 e a Olimpíada de verão de Tóquio, em 2020.

Apesar de se retirar com efeito imediato, o McDonald’s vai continuar nas Olimpíadas de inverno de Pyeongchang no próximo ano como patrocinador com direitos de marketing internos. O COI disse não estar planejando um substituto direto no departamento de varejo de alimentos.

Comentários

comentários