Marquinhos se reúne com vereadores e deputados por ‘harmonia e união’ pela Capital

f76e72ec-b511-4408-ae3b-874e940fa7a8O deputado estadual Marquinhos Trad, eleito prefeito de Campo Grande, no último domingo (30), já esteve reunido nesta manhã de terça-feira, 1º de novembro, com os atuais vereadores na Câmara Municipal. O encontro foi prioritariamente para levar uma mensagem de coesão de trabalho pela Capital, onde se falou do apoio ou compromisso de todos, ainda no exercício do mandato, com possíveis mudanças já a serem implantadas, como mexer no orçamento 2017, que está em tramitação no legislativo. E ainda, com pedido de apoio dos que foram reeleitos, bem como aos que saem, que será 62% da Casa que foi renovada, para continuarem trabalhos de até auxiliar a nova gestão na busca de trazer apoio dos 18 novos parlamentares. O encontro ainda rendeu ou se tirou uma ação inédita, com a Câmara sendo incluída e fazendo parte da transição de governo.

O presidente da Casa, João Rocha, que é do PSDB, da adversária na corrida eleitoral, como Marquinhos, falou do resultado positivo e da harmonia que já foi repassada e se pretende para a próxima administração da Capital. “Reunião foi de harmonia e entendimento. Foi exatamente o que trouxe o prefeito eleito, em uma mensagem para os que estão aqui até 31 de dezembro, e ainda tem trabalho que pode interferir na próxima gestão, bem como na busca de apoio para já alcançar o novos eleitos. Isto, nos deixa bastante esperançosos que a paz realmente volte a reinar, já acenando como será com os eleitos que viram, onde este relacionamento com os escolhidos como homens públicos, possam estar se entendendo para que a Capital volte a crescer e ter, a reinar a paz e o desenvolvimento de nossa cidade”, declarou Rocha.

O chefe do Legislativo, ainda revelou que a conversa até convergia nos mesmo pontos, que pediram e Marquinhos também sugeriu que houve uma participação efetiva da Câmara, desde já, a partir da e com membros da Casa, na equipe de transição entre a atual e futura administração. “Estabelecemos uma situação inédita, onde além de fazer a transição do Executivo, para que possamos juntos ir trabalhando e compondo a transição. O Executivo e Legislativo já estarem juntos para sermos célere e fazer tudo que possa chegar bem e a partir de 1º de janeiro administrar”, revelou Rocha.

O vereador confirmou o que Marquinhos apontou ao chegar, por volta das 10h15, na Casa, onde disse que conversaria com os parlamentares para pedir ajuda e “ter um governo harmonioso”, como sempre o fez, vai buscar e já o fez desde ontem, como anunciou após declarado vitorioso. Domingo já declarava que iria procurar e se reunir como todas as forças e instituições politico-administrativa na Capital. Ontem, ele já se encontrou com o governador do Estado, Reinaldo Azambuja. Hoje, após ter se reunido com os atuais vereadores, onde também discutiram sobre o PPA (Plano Plurianual) do Município, Trad, foi ainda a sessão da AL-MS (Assembleia Legislativa de MS), onde discurssou e novamente falou da “união e necessidade que também terá da Casa estadual, como de todos”.

“Chegou a hora de nos irmanarmos e termos a maturidade politica em não deixarmos que os campo-grandenses passem por mais sofrimentos. Nós precisamos de uma Saúde e tudo melhor, de não constrangermos com as coisas ruins de nossa cidade. Nós temos muito trabalho e ninguém consegue sozinho. Estive na Câmara e conversei com todos os vereadores, e disse que mesmo que saiam momentaneamente da Casa, mas que são pessoas com larga experiência e pode percorrer a cidade e ajudar muito. Como está Casa – estadual – que vai ter um papel importantíssimo, e, que nós vamos pedir ajuda de cada um de vocês para dar a Campo Grande sua contribuição e efetivamente dar condições ao progresso da cidade, que não devia ter saído de onde ou para onde estava indo”, discursou Marquinhos na Tribuna da AL-MS, de onde foi ouvido pro todos os ainda colegas de parlamento e por uma plateia cheia, que muito o aplaudiu.

Especial Câmara

A portas fechadas, o prefeito eleito se reuniu com os vereadores na Câmara Municipal, em um primeiro encontro após a eleição. O principal ponto foi para servir e ajustar as tratativas sobre a LOA (Lei Orçamentária Anual) e iniciar a relação entre Legislativo e Executivo municipais.

Também esteve em pauta a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação, Mercadoria e Serviços) e preocupação com setores como a Educação e Saúde na Lei Orçamentária. A intenção é rever os índices e detalhes da LOA da forma como foi enviada pelo atual prefeito, Alcides Bernal (PP).

Marquinhos garantiu pedir e pretende negociar, com atual Câmara, para se modificar algo na LOA perincipalmente nas área da saúde, educação e habitação. O futuro prefeito comentou ter falado com o atual para receber explicações e que o mesmo também até possa interferir na peça que teve que encaminhar ao Legislativo. “Já tive falando com Bernal e me disse muitos sim, onde ele explicou o que pode mudar, pois ele só enviou a LOA porque tem que cumprir data de lei. Bernal ainda pontuou que teve dificuldades e enviou as redução por causa que teve que mexer no orçamento para respeitar a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

Questionado sobre sua equipe de transição, Marquinhos disse que ainda falta um nome, mas deverá divulgá-la ainda nesta terça-feira.

Comentários

comentários