Mandetta participa de ato de filiação do DEM, mas não confirma candidatura

19mandetaNa manhã deste sábado (19), o partido Democratas (DEM) promoveu evento de filiação, com a presença do deputado federal Luiz Henrique Mandetta, virtual pré-candidato do partido à prefeitura de Campo Grande nas eleições do ano que vem, que não descartou a hipótese de sua candidatura, mas ainda não a apresentou como oficial.

De acordo com o deputado, “o encontro traçou as metas do partido avaliou como devem transcorrer às próximas eleições, à luz das novas regras eleitorais, que criaram a chamada janela partidária e estendeu o prazo de filiação até o dia 2 de abril de 2016. Como o nome de maior peso na legenda, Mandetta fez planos:

“O partido tem condições de apresentar pré-candidatos na grande maioria dos municípios do interior e na Capital, para cargos no Legislativo e Executivo” e ainda afirmou não ter “nenhuma dificuldade em ser o candidato do DEM”, sem confirmar no entanto a sua eventual candidatura.

Mandetta frisou que “o partido deve realizar discussões sobre os problemas da cidade, bairro a bairro sobre temas como saúde, educação, emprego e transporte, para elaborar um plano com ideias e compromissos e somente depois de cumprida essa etapa, discutirá propostas de nomes”.


Fator GISA

Por conta de suspeitas que o recente escândalo gerado pelo caso GISA – sistema de marcação de consultas na área da saúde, que nunca se chegou a funcionar – a oficialização da candidatura do deputado continua uma incógnita.

Segundo investigações do Ministério Público Federal, quando o deputado ainda era secretário de Saúde da Capital, teria viajado à Europa com dinheiro da empresa que vendeu o Gisa para a Prefeitura de Campo Grande, operação, que segundo o MPF, teria causado um prejuízo de R$ 10 milhões à administração municipal de Campo Grande.

A viagem de Mandetta financiada pela empresa, caracterizaria uma violação da lei de licitações e coloca o deputado sob suspeita de crime praticado por particular contra a administração em geral e tráfico de influência. O resultado das investigações, com os indícios das irregularidades apurados pelo MPF, atualmente tramitam no STF (Supremo Tribunal Federal).

Silvio Ferreira

Comentários

comentários