Mais pobres, 54% dos manifestantes anti-impeachment aprovam Dilma

O governo da presidente Dilma Rousseff é aprovado por 54% dos manifestantes que foram às ruas em São Paulo nesta quinta (20) em protesto contra o impeachment. Para 25%, a gestão é regular. E 20% a classificam como ruim ou péssima.

Manifesto em favor da presidente (Foto: Divulgação )
Manifesto em favor da presidente (Foto: Divulgação )

Os dados são do Datafolha, que além de fazer a contagem dos presentes (cerca de 37 mil pessoas), traçou o perfil dos manifestantes.

Segundo os dados do instituto, 59% eram homens, 52% das pessoas tinham ensino superior, 60% eram simpáticos ao PT. A idade média apurada foi de 42 anos e meio.

Assalariados registrados somavam 35%; funcionários públicos, 15%. A manifestação foi convocada com apoio do PT. Entre os organizadores estavam a CUT (Central Única dos Trabalhadores), MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e UNE (União Nacional dos Estudantes).

Na comparação com o perfil dos manifestantes anti-Dilma de domingo (16), chama a atenção o contraste em relação à renda e à cor declarada.

Pessoas de famílias com renda mensal de até 2 salários mínimos eram 24% da manifestação desta quinta. No domingo, somavam 6%. No polo oposto, o grupo dos mais ricos (acima de 20 salários)  representava 5% dos presentes nesta quinta ante 17% do ato anti-Dilma.

No protesto desta quinta, pardos e pretos somavam 49%. No domingo, eram 20%. O instituto também perguntou em quem o manifestante votou no segundo turno da eleição de 2014. Dilma foi citada por 83%; Aécio Neves (PSDB), por 5%. Outros 12% disseram que não votaram, anularam o voto ou votaram em branco.

Embora o mote do protesto fosse contra o impedimento, 13% disseram que o Congresso Nacional deveria, sim, abrir um processo de impeachment contra Dilma. Os contrários eram 86%. Para 88%, a petista não será afastada; 8% acreditam que ela perderá o cargo. Para 11%, Dilma deveria renunciar.

Numa simulação de eleição presidencial em caso de impeachment, Lula (PT) foi citado por 67%. Empatados em segundo lugar ficaram Luciana Genro (PSOL) e Marina Silva (PSB), com 9% cada uma. Aécio Neves (PSDB) alcançou 6%.

Conhecido por 92%, O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi avaliado como ruim ou péssimo por 78%. Só 3% classificaram o peemedebista como bom ou ótimo.

Já o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) alcançou 51% de reprovação ante 7% de aprovação. E o vice-presidente, Michel Temer, também do PMDB, obteve 26% de ruim ou péssimo; 27% de bom ou ótimo.

O Datafolha fez 1.209 entrevistas durante o ato. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos.

Folha.com

Comentários

comentários