Maioria dos políticos quer é ‘dinheiro, dinheiro, dinheiro’, diz Joaquim Barbosa

Descontente com a decisão da Câmara que, nesta quarta-feira, restabeleceu a doação de empresas a partidos e políticos, o ex-presidente do STF joga a responsabilidade para Dilma: ‘Um presidente com lucidez política e clara visão do Estado e da sociedade, não hesitaria em exercer o poder de veto’

Joaquim Barbosa. Foto: Fábio Motta/Estadão
Joaquim Barbosa. Foto: Fábio Motta/Estadão

Em quatro mensagens no Twitter, postadas na noite desta quarta-feira, 9, e na manhã desta quinta-feira, 10, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa atacou duramente os deputados que aprovaram texto mantendo doações eleitorais de empresas.

Na noite desta quarta-feira, 9, a Câmara aprovou texto que restabelece o repasse de pessoas jurídicas a partidos e políticos, que havia sido proibido pelo Senado. O ex-ministro jogou a responsabilidade para a presidente Dilma Rousseff (PT).

“Um presidente com lucidez política e clara visão do Estado e da sociedade, não hesitaria em exercer o poder de veto”, afirmou Joaquim Barbosa.

Em seu último post, às 10h42 desta quarta, o ex-ministro arrematou. “Mas como todos nós sabemos, é sonhar demais, não é mesmo?”

Joaquim Barbosa começou a tuitar seu descontentamento às 23h25, pouco depois de os deputados derrubarem a decisão dos senadores, na véspera. “Pois é. Em poucos dias os ilustres deputados derrubaram a saudável proibição do desvio de dinheiro das empresas para políticos e partidos. Agora está tudo muito claro, né? Vc já sabe: o que a maioria dos políticos (não todos, claro) quer é: dinheiro, dinheiro, dinheiro!!!”.

ESTADÂO

Comentários

comentários