Vereadores Carlão e Luiza Ribeiro se mostram favoráveis à fusão do PSB com PPS

Durante a sessão da Câmara Municipal de Campo Grande de hoje, os vereadores Carlão (PSB) e Luiza Ribeiro (PPS), líderes das legendas na Capital, falaram sobre a fusão dos dois partidos anunciada nesta quarta-feira (29) pelas Executivas Nacionais das legendas.

As siglas querem acelerar o processo de unificação para participar das eleições de 2016, que exigem que os seus candidatos estejam formalmente filiados a um determinado partido até outubro deste ano.

Para os dois vereadores, as eventuais divergências entre os representantes dos partidos no âmbito municipal deverão se pautar pela semelhanças programáticas e as superar as dificuldades e divergências entre os vereadores

Segundo Luiza Ribeiro as conversas sobre a fusão incluem ainda o Partido Verde (PV) e Solidariedade (SD). “As conversas tiveram início em 2014, entre Eduardo Campos, que era do PSB, e Roberto Freire. O processo de aproximação ficou claro quando o PPS participou da coligação que lançou a candidatura de Eduardo Campos à Presidência e apoiou a candidatura de Marina Silva”, afirmou.
Para a vereadora a pximidade programática das legendas vai facilitar o entedeminto. “tivemos encontros regionais no país inteiro debatendo o tema, é claro que existem pequenas arestas em alguns lugares, mas isso será superado”, ressalta .

Para Carlão, que é presidente municipal do PSB, em se tratando de PPS e PSB, as duas instâncias partidárias possuem ideias convergentes. “Para Campo Granxde será muito bom, a bancada vai passar de 1 para 2 vereadores e as legandas lutam pela igualdade social”, diz. “Além disso haverá um crecimento em âmbito nacional o que é importante”, ressalta

Sobre enventuais entraves, o vereador afirma que é sempre muito importante o fortalecimento de forças e, se esse for o caso, é preciso esquecer das questiúnculas localizadas para não inviabilizar o projeto de unificação. “Há assimetrias e divergências nos dois grupos, as legendas estiveram juntas nas últimas eleições presidenciais”, lembrou.

Com a união dos partidos, a nova legenda terá 7 senadores, 45 deputados federais e três governadores, segundo dados dos partidos.

Comentários

comentários