Longen anuncia 125,7 mil vagas em 311 cursos do Sesi, Senai e IEL e R$ 140 milhões em obras

Em entrevista coletiva de lançamento do Mês da Indústria, o presidente da Fiems também destacou o trabalho para amenizar os efeitos da crise

Durante entrevista de lançamento de “Maio Mês da Indústria 2015 – Indústria Resistente”, realizada no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), o presidente da Fiems, Sérgio Longen, anunciou o oferecimento de 125.784 vagas em 311 cursos de educação profissional do Sesi, Senai e IEL, distribuídos por 52 cidades e R$ 140 milhões em obras de modernização, ampliação e construção de unidades do Sesi e Senai nas cidades de Campo Grande, Corumbá, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Sonora e Três Lagoas. Ainda como parte da programação, ele informou sobre a realização de palestras com o publicitário Washington Olivetto e com economista Ricardo Amorim, além da Ação Global 2015.

Presidente da Fiems  destacou o trabalho para amenizar os efeitos da crise
Presidente da Fiems destacou o trabalho para amenizar os efeitos da crise

“O Sistema Fiems busca executar ações em prol do desenvolvimento da indústria para sair deste cenário de crise. Estamos trabalhando para diminuir o impacto da crise nacional no setor no Estado, originária no descompasso dos gastos públicos do Governo Federal, que procura solucionar com aumento de impostos e da tarifa de energia para as empresas. Tudo isso reflete nos preços dos nossos produtos, fazendo com que fiquem menos competitivos e, desta forma, sufocando o setor e também o consumidor, que passa a comprar menos. Ou seja, nessa crise a indústria é um dos setores mais impactados”, declarou Sérgio Longen.

Ele citou como entraves do setor produtivo estadual a demora na reforma política, solucionando o problema de eleições de dois em dois anos, o aumento do Fundo Partidário, que subiu de R$ 267,5 milhões para R$ 867,5 milhões, e o número excessivo de vereadores, já que apenas no Estado são quase 900 parlamentares em 79 municípios. “Defendemos que o Senado aprove, com poucas alterações, o texto votado pela Câmara dos Deputados do Projeto de Lei nº 4.330/04, que permite a terceirização das atividades-fim das empresas do setor privado, trazendo ao Brasil novas oportunidades para investimentos no setor do trabalho. Também defendemos que a Câmara dos Deputados aprove o Projeto de Lei nº 130/2014, que trata da convalidação dos incentivos fiscais já concedidos pelos Estados às empresas e que foi recentemente aprovado pelo Senado”, afirmou

O presidente da Fiems reafirmou ser divergente ao Projeto de Lei n° 863/2015, de autoria do Poder Executivo, que reduz a desoneração da folha de pagamentos concedida a 56 segmentos econômicos. “Entendemos que essa medida vai gerar, apenas em Mato grosso do Sul, um impacto de mais de R$ 1,2 bilhão ao ano, contabilizando apenas os setores industrial e comercial, o que provocará um grande número de demissões”, pontuou, informando que será criado um grupo de trabalho para atuar na desburocratização e simplificação de processos com a realização de uma agenda propositiva pela Fiems em parceria com Famasul, Fecomércio, Faems e Sebrae.

Além disso, completou Sérgio Longen, ainda será criado um grupo de trabalho formado pela Fiems, EIL e Sebrae, para atuar na busca de oportunidades e valorização das empresas locais para vender ao setor público federal, estadual e municipal. “Também continuaremos com ações junto ao Ministério do Trabalho em Emprego para readequar as normas regulamentadoras (NRs), que vêm trazendo grandes transtornos ao setor industrial do Estado”, pontuou.

Já o secretário estadual de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, que também participou da entrevista, reforçou que o Governo do Estado tem procurado contribuir com o setor industrial. “Estamos com uma minuta do projeto de lei acerca da redução do ICMS sobre o óleo diesel e sobre a tarifa de energia. Ainda estamos estudando os custos que se elevaram nos últimos dois meses e desejamos atender todo o setor produtivo estadual. É preciso ter um equilíbrio entre arrecadação e desoneração”, declarou.

Sobre a convalidação dos incentivos fiscais, Jaime Verruck reforçou que o Governo do Estado considera de extrema importância para atrair novos investimentos e dar continuidade ao crescimento da indústria. “Essa é uma grande preocupação do Governo. Neste mês, já tivemos o anúncio da ampliação da Eldorado Celulose e que vai ter um investimento de R$ 8 bilhões e vai dar um novo ânimo ao setor em Três Lagoas. Também lutamos pela retomada das obras da fábrica da Petrobras, no município, a UFN3, pois é muito importante para o Estado e para o nosso País ter essa fábrica de fertilizantes.

Detalhamento

Como parte do programa de educação profissional do Sistema Fiems para Mato Grosso do Sul, o Sesi, Senai e IEL disponibilizam, ao longo deste ano, 125.784 vagas em 311 cursos, a maioria gratuitos, distribuídos por 52 cidades. Do total de vagas, 90.193 serão disponibilizadas pelo Senai ao longo do ano em 228 cursos das modalidades de educação profissional técnica de nível médio, qualificação profissional, iniciação profissional, especialização profissional, superior e pós-graduação distribuídos por 52 municípios do Estado.

Já o Sesi oferece 25.017 vagas em 62 cursos nas modalidades de educação, saúde, saúde e segurança no trabalho, responsabilidade social e estilo de vida saudável distribuídos por 7 cidades, enquanto, no caso do IEL, são 10.574 vagas em 22 cursos nas mais diversas modalidades distribuídas por 29 cidades do Estado. Já as obras de modernização, ampliação e construção de unidades do Sesi e Senai totalizam mais de R$ 140 milhões, que contemplam as cidades de Campo Grande, Corumbá, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Sonora e Três Lagoas.

Em andamento está a ampliação do Senai de Campo Grande, que terá investimento de R$ 14,1 milhões, o ISI Biomassa (Instituto Senai de Inovação em Biomassa), em Três Lagoas, com a destinação de R$ 21,6 milhões, o Novo Sesi de Três Lagoas, com aplicação de R$ 29,4 milhões, e o Laboratório Físico Químico de Alimento do Senai de Dourados, com recursos da ordem de R$ 4,4 milhões. Com relação às obras já concluídas e que serão inauguradas ao longo deste mês estão o receptivo do Senai de Campo Grande, que teve recurso de R$ 950 mil, a reforma da Unidade de Saúde do Sesi de Campo Grande e Incubadora Sindical da Fiems, com aplicação de R$ 3,3 milhões, a Agência de Formação Profissional do Senai em Sonora, com investimento de R$ 2,8 milhões, e a reforma e ampliação do Senai de Três Lagoas, com recursos de R$ 6 milhões. Já as obras a lança está o Sesi de Campo Grande, com investimento de R$ 35 milhões, a Escola da Construção do Senai de Campo Grande, com mais R$ 11,9 milhões, a construção do Centro Integrado Sesi Senai de Nova Andradina, com mais R$ 9,3 milhões, e a ampliação do Centro Integrado Sesi Senai de Naviraí, com mais R$ 1,1 milhão.

Comentários

comentários