Líder na corrida eleitoral ,Marquinhos diz que não vai formar chapa ‘por conveniência’

De olho na prefeitura, o pré-candidato a prefeito de Campo Grande, deputado estadual Marquinhos Trad (PSD), disse em entrevista ao Programa Tribuna Livre da Capital FM e ao Pagina Brazil na manhã desta terça-feira (17), que está percorrendo os bairros da cidade para ver quais são as necessidades da população.

Foto: Kerolyn Araújo
Foto: Kerolyn Araújo

Segundo Marquinhos, “a política é algo muito sério para deixar apenas para os políticos” citando o estadista francês Charles De Gaulle (1890 – 1970), por isso está percorrendo os bairros da cidade para saber das necessidades da população e ouvir os eleitores. “Estou percorrendo as setes regiões de Campo Grande para ouvir as reclamações e apontar as soluções. É necessário ouvirmos mais e falarmos menos”, disse.

Marquinhos aparece em primeiro lugar na preferência dos eleitores em dois cenários na corrida para a cadeira de prefeito da Capital. Outro dado que chama muito a atenção é o baixo índice de rejeição ao seu nome em todas as classes sociais.

Na pesquisa IPMS, Marquinhos tem 32,16% e está à frente do prefeito Alcides Bernal (PP) que aparece com 28,53% e em terceiro lugar, aparece a vice-governadora Rose  Modesto (PSDB)com 12,4% das intenções de votos. Já na pesquisa do Instituto Valle, Marquinhos Trad é citado por 33,17% dos entrevistados, Bernal aparece com 24,70% e a professora Rose soma 8,82% das intenções de votos.

No quesito rejeição, Marquinhos Trad tem o menor índice 4,58% seguido por Rose Modesto que tem 5,64% e Alcides Bernal tem a maior rejeição dos eleitores de Campo Grande 25,52%.

“Esse resultado me deixa mais confiante, contudo sereno, sei que o caminho é longo e vou continuar minha caminhada, conversando e ouvindo as pessoas”, apontou.

Quando falou em alianças, disse que vai usar o esmo critério que na escolha do vice em sua chapa, o nome ainda não foi escolhido e o partido tem até agosto para indicar o nome o candidato. “Independente de ser homem ou mulher, posso garantir que será alguém capacitado. Não vamos escolher por conveniência e nem por agradado a partidos. Quero uma pessoa que tenha a mesma vontade de trabalhar pela nossa cidade e que saiba o que é preciso ser feito”,  ressaltou o deputado.

Marquinhos lembra que muitos candidatos formam suas chapas, apenas para composição política, sem pensar nos critérios técnicos. “Não vou vender o espaço de vice”. Ele diz que já está conversando com alguns partidos, que podem vir a ser aliados na eleição, no entanto prefere não adiantar antes do tempo. “Ainda está cedo para divulgar, até para não chamar a atenção dos concorrentes”.

Comentários

comentários