Lava Jato aponta uso de propina para pagar casamento de filha de Cunha

No pedido de prisão do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), o Ministério Público Federal apontou o uso de dinheiro “proveniente de crimes contra a administração pública” para pagar o casamento de uma das filhas do peemedebista. O casamento de Danielle Cunha custou R$ 267.384, considerando apenas os serviços prestados pelo hotel, sem outros prestadores.

O Copacabana Palace emitiu nota fiscal de R$ 266.205,90 pelos serviços prestados em favor da empresa C3 Produções, que pertence à Claudia Cruz, e R$ 1.178,10 em favor de Danielle. No entanto, a Receita Federal verificou que não há lançamentos contábeis relativos às despesas. Não foram localizados os pagamentos nos extratos e também não foram identificados saques nas contas bancárias de Danielle, tudo de acordo com a força-tarefa.

“Ao que tudo indica, a maioria dos pagamentos das despesas do casamento foi feito em dinheiro, muitas vezes de forma fracionada e sem a identificação do depositante”, escreveu a Receita ao Ministério Público Federal. Pagamento fracionado e em dinheiro vivo é um método clássico para evitar que se descubra quem fez o depósito.

“Resta claro que o dinheiro usado para o pagamento do casamento de Danielle Ditz da Cunha era proveniente de crumes contra a administração pública praticados pelo seu pai” concluiu a força-tarefa.

Folha de S. Paulo

Comentários

comentários