Investigados Coffee Break tinham grupo no WhatsApp

Foram entregues ao Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) na manhã desta quarta-feira (14), os laudos dos 17 celulares apreendidos durante a Operação Coffee Break. A perícia dos aparelhos foram feitas pelo Instituto de Criminalística da Capital.

Por meio de quatro peritos foram recuperados conversas de whatsapp, facebook, mensagens e ligações dos aparelhos apreendidos. No total, a perícia de todos os celulares resultou em 400 mil páginas.

De acordo com o coordenador do Instituto de Criminalística, Eduardo Carvalho, cada laudo foi resumido em 10 páginas. “Também foram entregues ao Gaeco CDs e pendrives com as mídias que foram recuperadas”, relatou. Ainda segundo Carvalho, os peritos levaram de cinco a oito horas para extrair os dados de cada celular.

Perícia dos celulares foram entregues na manhã desta quarta-feira. Foto: Kerolyn Araújo
Perícia dos celulares foram entregues na manhã desta quarta-feira. Foto: Kerolyn Araújo

Após receber os laudos, o promotor Marcos Alex Vera de Oliveira, revelou que não existe um prazo para que as investigações cheguem ao fim. “Estamos surpresos com a quantidade de conteúdo que foram recuperados, então não podemos estimar um prazo correto, mas esperamos que seja o mais breve possível”, relatou. Segundo o promotor, todos os 17 investigados, o ex-prefeito Gilmar Olarte, sua esposa e servidores da Câmara Municipal e prefeitura, participavam de um mesmo grupo do aplicativo whatsapp.

O Gaego já recebeu a quebra do sigilo fiscal dos investigados. Agora, todo o conteúdo será encaminhado ao setor de contabilidade do Ministério Público Estadual (MPE) para que seja conferido se existe uma incompatibilidade patrimonial com a renda.

Ainda segundo o promotor, novas oitivas poderão ser convocadas dependendo da análise dos laudos que foram entregues pelo Instituto de Criminalística.

Kerolyn Araújo

Comentários

comentários