Lâmpadas de LED ‘presas’ finalmente começam a ser instaladas

Lúcio Borges

A prefeitura de Campo Grande iniciou na tarde desta segunda-feira (16), a tão esperada e polemizada, até judicialmente, instalação das lâmpadas Led em bairros da Capital. O produto estava estocado em contairners  no pátio da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, há mais de um ano, e mesmo sua colocação pela cidade tinha sido barrada, dentre os absurdos e criados imbróglios político-administrativo na gestão passada, de Alcides Bernal. Veja abaixo, o impasse sobre as Leds, que estão parada desde setembro do ano passado, quando o Tribunal de Contas cancelou o contrato firmado com a empresa fornecedora. O projeto inicial foi um pouco modificado pela atual gestão, que fará a instalação primeira ou prioritariamente pelas linhas do transporte coletivo.

Assim, hoje, o traballho iniciou pela Rua Paulo Frontin, no Jardim Los Angeles, entrea  instalação de, aproximadamente, 14.500 lâmpadas de led. A expectativa é que 80% dos corredores de ônibus da cidade, que se estendem por 13 quilômetros, recebam as lâmpadas que são mais econômicas e têm maior durabilidade, se comparadas as convencionais, a vapor de sódio. Conforme o planejamento da Divisão de Iluminação Pública, o total são de 16.126 lâmpadas disponíveis, mas 10% (1.611) ficarão  como reserva técnica para qualquer eventual reposição.

As quatro equipes de manutenção contratadas para fazer o serviço vão trocar as lâmpadas de sódio de 250  watts por leds de 40 W na iluminação pública dos corredores do transporte coletivo. A previsão é que em média substituam de 60 a 80 lâmpadas por dia. O trabalho é minucioso, porque inclui a retirada do conjunto existente (que será reaproveitado em outras regiões da cidade, onde há lâmpadas queimadas) e a instalação de um novo.

Serão instaladas efetivamente 14.513 lâmpadas, sendo 13.598  de 40 w nas linhas de ônibus e 915  com 165 w, reservadas  para completar o serviço na Avenida Afonso Pena, que recebeu, na primeira etapa da instalação das leds em 2016, apenas 160 lâmpadas.

Maior durabilidade

A primeira lâmpada efetivamente foi instalada na esquina com a Rua Francisco Espinosa, em frente da casa de dona Ana Claudia Nascimento, que achou positiva a troca. “Esta lâmpada nova parece que dura mais tempo”, avaliou.

As lâmpadas de led (dependendo da estabilidade  de tensão da rede onde estiver instalada) podem durar até 5 anos, enquanto as lâmpadas a vapor de sódio precisam ser substituídas após 3 anos de instalação. Outra vantagem é que consomem menos energia. No caso da Avenida Eduardo Elias Zahran, onde houve a colocação de 160 leds de 165 w, a economia é de até 40%. Em locais como as Moreninhas, que recebeu 355 lâmpadas de 40w, a economia foi menor (3%).  Esta combinação de fatores, argumentam os técnicos da Sisep, compensa o investimento maior, já que as leds são mais caras que as convencionais.

Entenda o impasse

Em setembro do ano passado, o Tribunal de Contas determinou o cancelamento do contrato firmado em 2016 com a empresa fornecedora, que recebeu R$ 20,5 milhões para entregar e instalar 20.367 lâmpadas de led, sendo 17.367  de 40 w (indicadas para vias mais estreitas ) e 3 mil de 165 W, usadas nas grandes avenidas de pista dupla. Foram instaladas 4.247, restando o saldo de 16.126 (15.109 de 40 w e 1.017 de 165 w).

No dia 28 de junho, a atual gestão ingressou com Embargo de Declaração no Tribunal de Contas do Estado (TCE) solicitando liberação para instalação destas 16.126 lâmpadas.

No último dia 12 de julho, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) publicou no Diário Oficial a autorização para que a prefeitura instalasse as lâmpadas. Foi feito então um acordo judicial, com participação do Ministério Público, que resultou na rescisão do contrato com a fornecedora e a prefeitura assumiu o compromisso de instalar as lâmpadas com quatro equipes próprias, que na época ainda não existiam.

Foi preciso então locar as caminhonetes com equipamentos e promover um processo seletivo para contratação de dois engenheiros elétricos e seis eletricistas que compõem  as equipes. O resultado final do processo seletivo foi divulgado na edição do dia 29 de setembro do  Diário Oficial. Os selecionados apresentaram na semana seguinte os documentos e depois passaram por duas semanas de treinamento antes de irem à campo.

No dia 5 de julho, o procurador-geral do Município de Campo Grande, Alexandre Ávalo, conseguiu fechar acordo com o Ministério Público Estadual e Poder Judiciário para instalação das lâmpadas. Durante audiência, com participação do juiz David de Oliveira, promotor Marcos Alex Vera, e de representantes da empresa Solar Distribuidora e Transmissão S.A, o município conseguiu acordo para invalidar a permanência do contrato, mas garantir a instalação das lâmpadas que já foram pagas.

Com informações da Ascom PMCG

Comentários

comentários