Justiça dos Estados Unidos pede extradição de José Maria Marin

A Justiça dos Estados Unidos enviou pedido formal de extradição do ex-presidente da CBF José Maria Marin e dos outros seis cartolas da Fifa presos desde o dia 27 de maio. O pedido foi oficializado nesta quarta-feira, dia 1º, dois dias antes do prazo final para a solicitação de transferência dos presos expirasse.

José Maria Marin, 83 anos, soube conviver e se relacionar com as pessoas certas a seus interesses Foto: Pedro LADEIRA / AFP
José Maria Marin, 83 anos, soube conviver e se relacionar com as pessoas certas a seus interesses
Foto: Pedro LADEIRA / AFP

A partir de agora, Marin e os demais cartolas serão comunicados e terão 14 dias (prorrogáveis por mais 14), para se manifestar. Os dirigentes poderão recorrer, se for o caso, à Corte Federal Criminal e, depois, à Suprema Corte — o que pode fazer com que o processo leve até seis meses. O Departamento de Justiça da Suíça diz que tomará a decisão sobre a extradição em “poucas semanas” após ouvi-los.

No pedido de extradição, as autoridades dos Estados Unidos justificaram que o esquema foi montado em território americano e bancos do país foram usados para movimentação da propina. Os sete foram detidos em Zurique na véspera do congresso da Fifa acusados pelas autoridades americanas de envolvimento num esquema de corrupção relacionados a direitos de transmissão e marketing de competições.

Personagens de um escândalo:

Três brasileiros têm suas digitais no esquema de corrupção que abalou o futebol. conheça a trajetória do ex-jogador sem talento que semeou alianças nos campos da política e do esporte, do ex-jornalista esportivo que descobriu um filão em contratos comerciais de torneios e do empresário que se especializou em distribuir comissões.

Comentários

comentários