Juíza decreta segredo na ação em que Promotoria pede prisão de Lula

A última ação contra o ex-presidente Lula, que foi pedida até sua prisão pelo MPE-SP (Ministério Publico Estadual de São Paulo), na quinta-feira (10), contou ontem com mais um ato, solicitando segredo de Justiça no decorrer do processo. O fechamento do processo foi decretado pela juíza Maria Priscilla Ernandes, da 4ª Vara Criminal da Capital de SP. Ela que ficou como responsável pelo processo e tem que decidir sobre a aceitação ou não do procedimento e por conseqüência pela possível prisão, já adiantou que uma decisão final não será em curto prazo, podendo até demorar devido a extensão do material.

A magistrada decretou segredo de Justiça do processo em que Lula é acusado por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica no caso tríplex, que envolve o suposto apartamento no Guarujá que, segundo a Promotoria criminal paulsita, pertence ao ex-presidente.

A juíza considerou a necessidade do segredo de Justiça, pois o assunto é e pode ter movimentação social de todo o país. “Trata-se de processo de elevada repercussão social, em que há acusações contra um ex-presidente da República e líder político de grande massa social, no que faz requerimento de elevadas medidas cautelares sérias”, alegou a magistrada.

Segunda a juíza sua decisão sobre recebimento ou não da denúncia e sobre o pedido de prisão do ex-presidente pode demorar. “Neste momento saliento que o processo apresentado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo possui 36 volumes, ainda não findo o processo de digitalização, e já existem habilitações de procuradores de alguns denunciados, e para a análise da viabilidade da acusação, bem como dos pedidos cautelares formulados, necessária à detida apreciação de todo o material apresentado, o que demandará algum tempo”.

Processo

A denúncia contra Lula foi apresentada na última quarta-feira (9), onde os promotores de Justiça paulista acusam 16 investigados por irregularidades em empreendimentos da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de SP). A ex-primeira dama Marisa Letícia, o filho mais velho do casal, Fábio Luiz Lula da Silva, o Lulinha, o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, e o ex-tesoureiro do PT João Vacari Neto estão entre os denunciados.

Lúcio Borges

Comentários

comentários