Juiz manda a júri popular acusadas de matar manicure

O juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, mandou a júri popular Gabriela Antunes Santos, de 20 anos, e Emilly Karoliny Leite, de 21 anos, pelo assassinato de Jeniffer Nayara Guilhermete de Morais, de 22 anos. A decisão foi publicada na edição desta terça-feira (30) do Diário Oficial da Justiça e ainda não há data para o julgamento.

Gabriela Antunes e Emilly Karolyn acusadas caso de matar a manicure Jennifer (Foto: Graziela Rezende/G1 MS)
Gabriela Antunes e Emilly Karolyn acusadas caso de matar a manicure Jennifer (Foto: Graziela Rezende/G1 MS)

A manicure foi encontrada morta a tiro em uma cachoeira de Campo Grande, no dia 15 de janeiro de 2016. As duas acusadas confessam o crime e estão presas. Elas foram pronunciadas pelo crimes de homicídio qualificado pelo motivo torpe e pelo recurso que dificultou a defesa da vítima. Gabriela responde ainda por posse de munições.

Crime

A manicure estava trabalhando quando Emily ligou para ela e marcou um encontro a pedido de Gabriela. Elas passaram na casa da cliente de Jennifer, a pegaram e seguiram para o local conhecido como Inferninho. No carro estava ainda uma adolescente.

Conforme a sentença de pronúncia, Gabriela pegou uma arma de fogo e obrigou Jennifer a caminhar em direção ao penhasco. Ela atirou, a manicure foi atingida e caiu na cachoeira.

De acordo com a polícia, durante o trajeto do local de trabalho de Jeniffer até a cachoeira, todas as mulheres fumaram maconha, inclusive a vítima.

O crime teria sido motivado por vingança. A manicure teria tido um relacionamento amoroso com o marido da vítima. O homem não tem relação com o crime. (Com Informações G1)

Comentários

comentários